Nos últimos anos o Fantasporto habituou-nos a uma boa colheita da cinematografia filipina. Em “Waiting for Sunset”, e fugindo um pouco dos ambientes de favela e pobreza que pautam muito do que temos visto, chegamos a uma outra aproximação da realidade deste país. O realizador Carlo Catu conta-nos uma história simples. Somos colocados perante um triângulo amoroso em que a a esposa se vê presa ao seu antigo casamento apesar de viver com outro homem. Cumplicidade entre os personagens, amor nas suas várias formas e, acima de tudo, um enorme respeito pela humanidade de cada um. Testosterona posta de lado para dar lugar a solidariedade quando o ex-marido se encontra doente e o actual companheiro, sem dúvidas ou ciúmes, coloca-se ao lado da sua companheira na partilha dos cuidados e do carinho a quem faz o seu percurso final de vida.

No geral, o filme é promissor na medida em que continuamente oferece aos personagens a oportunidade de mostrarem maturidade emocional, algum espaço para crescimento e a promessa de que cada pôr do sol só poderia significar que o sol nascerá novamente mantendo em aberto os percursos dos personagens.