O Fantasporto – Festival Internacional do Porto está de volta entre os dias 25 de fevereiro e 8 de março, no Teatro Rivoli (Porto), para celebrar 40 anos de Fantasporto e amor pelo cinema. “A cidade do Porto, belíssima cidade barroca debruçada sobre o Rio Douro e cidade “Património Mundial da Humanidade”, recebe um dos festivais de cinema cada vez mais prestigiados a nível europeu e mundial – o Fantasporto.”

“São treze dias de Festa para o Mundo do Cinema, onde produtores, realizadores, atores, atrizes, distribuidores e público se fundem num programa multifacetado, com filmes de todas as proveniências e géneros.”

A cerca de uma semana da abertura da 40.ª edição do Fantasporto ao público, a 25 de fevereiro, os fundadores do festival, Beatriz Pacheco e Mário Dorminsky, abrem o apetite à imprensa, apresentando a ementa de filmes e espetáculos que vai marcar a edição deste ano. Na sessão de abertura, no dia 28 de fevereiro, pelas 21h, será exibido “Adverse”, de Brian A. Metcalf.

Um festival que se iniciou pela mostra de cinema fantástico e que, no ano seguinte, já carregava o peso que a palavra Internacional  requer. “Quarenta anos de cinema, correspondem exatamente a quarenta anos de trabalho“, assim o diz Mário Dorminsky, um dos fundadores da sala de cinema que desde 1981 tem vindo a receber grandes nomes do cinema internacional, fazendo parte do estrelato Guilermo del Toro, Danny Boyle, Wim Wenders e Bong Joon Ho.

Na sua 40.ª edição, o Fantasporto celebra a irreverência de temas vigentes – a preocupação ambiental ou consequência da utilização de redes sociais – salientando ainda a inovação, o apoio a  talentos emergentes e a pluralidade de um ilustre leque de países que transportam até ao Porto, sessões que prometem cativar o público no “mais festivo festival” até à data, afirma Beatriz Pacheco.

Na edição de 2020, destacam-se mais de 177 sessões com mostras de longas e curtas-metragens oriundas das Filipinas, Coreia do Sul ou Egito (entre tantos outros) e com cerca de 70% dos filmes a ter representes presentes. Está também reservado um espaço para o que é novidade no cinema português, com a exibição de 40 filmes (em antestreia mundial), dos quais fazem parte “Por Detrás da Moeda”, de Luís Moya, e “Conselhos da Noite”, de José Oliveira. No que diz respeito ao Fantas Classics, o público pode ver ou rever clássicos do cinema como “Blade Runner” (1982), de Ridley Scott, “Dracula de Bram Stoker” (1992), de Francis Ford Coppola e “O Touro Enraivecido” (1980), de Martin Scorsese.

“O cinema é a única arte em que podemos visualizar o passado, presente e futuro”, reflete Beatriz Pacheco, e é exatamente por isso que se celebra, em 2020, quarenta anos de edições que marcaram espectadores e amantes do cinema na cidade do Porto.