Terminou ontem a 12.ª edição da Festa do Cinema Italiano, em Lisboa, com o melhor resultado de sempre de espectadores. Esta foi a edição que teve mais espectadores da história do festival, ultrapassando, pelo menos em 20% os números da edição passada. Ainda faltam as contas finais, mas o total de espectadores em sala ultrapassa os 15 mil espectadores, só na capital.

“Figlia Mia”, segunda longa-metragem de Laura Bispuri, é o grande vencedor do Prémio do Júri da 12.ª Festa do Cinema Italiano, que segundo o júri foi escolhido “pelo retrato de uma Sardenha quase selvagem e de uma criança perdida entre duas mulheres. Há extraordinárias interpretações neste filme poético e pungente que, sem sentimentalismo, coloca questões essenciais sobre a natureza das relações maternas e dos laços familiares. Destaque especial às atrizes principais, Alba Rohrwacher e Valeria Golino, pelo seu talento e pela força das suas representações; e à fotografia, que nos mostra a beleza das paisagens áridas da Sardenha”.

“Bangla”, a primeira obra de Phaim Bhuiyan, é o vencedor do Prémio do Público Canais TVCine & Séries. Inspirado na sua própria vida, Phaim Bhuiyan é o realizador e ator protagonista deste filme sobre um rapaz, de 22 anos, com origens do Bangladesh, que vive em Torpignattara, nos subúrbios de Roma. Quando se apaixona perdidamente por Asia, uma jovem italiana, entra em pânico. De acordo com os seus pais, muito tradicionais, ele tem de casar com uma mulher Bengali, e de acordo com a lei islâmica, sexo antes do casamento é pecado.

A Festa do Cinema Italiano continua agora em Abrantes (1, 8 e 15 de maio, no Cineclube – Espalhafitas), Beja (7 a 9 de maio, no Pax Júlia Teatro Municipal), Évora (14 a 17 de maio, no Auditório Soror Mariana), Tomar (14 a 18 de maio, no Cine-Teatro Paraíso), Caldas da Rainha (de 21 a 23 de maio, no CCC), Loulé (de 23 a 26 de maio, no Cine-Teatro Louletano), Funchal (Setembro), Angra do Heroísmo, Santa Cruz da Graciosa, entre outras.