Festival de Gramado 2024: Organização anuncia longas-metragens em competição

Os Longas-Metragens Brasileiros serão exibidos presencialmente em Gramado, entre os dias 10 e 16 de agosto, no tradicional Palácio dos Festivais
OS FILMES MAIS ESPERADOS DE 2019 7 1 OS FILMES MAIS ESPERADOS DE 2019 7 2

Na manhã desta terça-feira, 9 de julho, a organização do Festival de Cinema de Gramado divulgou uma parte dos filmes que farão parte das mostras competitivas da sua 52.ª edição.

Entre mais de 1.000 títulos inscritos, foram selecionados pelas curadorias e comissões de seleção sete longas-metragens brasileiros, cinco longas-metragens gaúchos e 16 curtas-metragens gaúchos.

Mais uma vez, a diversidade e a inovação marcam a seleção. Entre os longas brasileiros, as sete produções terão estreia nacional em Gramado. A lista representa a diversidade do audiovisual brasileiro, com visões de realizadores e realizadoras do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do país.

É de salientar a variedade de géneros, que inclui drama, ficção, comédia e documentários.

A presença feminina também terá destaque em Gramado, com quatro dos sete longas brasileiros em competição dirigidos por mulheres.

Os Longas-Metragens Brasileiros serão exibidos presencialmente em Gramado, entre os dias 10 e 16 de agosto, no tradicional Palácio dos Festivais.

Prémios

Ao total, serão entregues 33 Kikitos e 11 troféus Assembleia Legislativa, além das tradicionais homenagens com os Troféus Oscarito, Eduardo Abelin, Kikito de Cristal e Cidade de Gramado.

Em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), por meio do Instituto Estadual de Cinema (Iecine), o Festival de Gramado entregará, ainda, três Prêmios O Futuro nos Une e o Troféu Leonardo Machado, além do Troféu Sirmar Antunes, em parceria com a Assembleia Legislativa.

Palavra da organização

Durante o encontro com os jornalistas, a presidente da Gramadotur, Rosa Helena Volk, enfatizou que o evento ocorrerá normalmente, de forma presencial, e que a cidade aguarda a visita de quem gosta de cinema para prestigiar o festival:

“Será muito mais democrático, com uma participação mais intensa de todos. Realizaremos mais uma vez um grande festival, como Gramado merece”.

Marcos Santuario, curador do festival, destacou o árduo trabalho que teve ao lado do ator e realizador Caio Blat na seleção dos filmes.

“A qualidade dos filmes é grande e isso não é novidade para nós. As inscrições dos filmes para Gramado demonstram esse padrão já há vários anos, atestando o desejo dos grandes e novos realizadores de apresentar seus filmes aqui, como primeira tela no Brasil. Isso nos honra, nos desafia e também nos alegra em saber como o festival se mantém importante no universo cinematográfico nacional e acaba sendo a possibilidade de conhecer esses potentes e talentosos realizadores e realizadoras com suas novas produções. Gramado é um festival onde os filmes nascem, em suas telas e seus debates. E esse ano não vai ser diferente”, salientou.


Filmes selecionados

 

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS (LMB):

“Barba Ensopada de Sangue”, de Aly Muritiba

“Cidade; Campo”, de Juliana Rojas

“Estômago 2: O Poderoso Chef”, de Marcos Jorge

“Filhos do Mangue”, de Eliane Caffé

“O Clube das Mulheres de Negócios”, de Anna Muylaert

“Oeste Outra Vez”, de Erico Rassi

“Pasárgada”, de Dira Paes

 

LONGAS-METRAGENS GAÚCHOS (LMG):

“Até Que a Música Pare”, de Cristiane Oliveira (Antônio Prado, Nova Roma do Sul, Nova Bassano e Veranópolis)

“A Transformação de Canuto”, de Ariel Kuaray Ortega e Ernesto de Carvalho (São Miguel das Missões)

“Infinimundo”, de Bruno Martins e Diego Müller (Lajeado, Santa Cruz do Sul e Sinimbu)

“Memórias de um Esclerosado”, de Thais Fernandes e Rafael Corrêa (Porto Alegre)

“Um Corpo Só”, de Cacá Nazario (Porto Alegre)

 

CURTAS-METRAGENS GAÚCHOS (CMG):

“A Um Gole da Eternidade”, de Camila de Moraes e Paulo Ricardo de Moraes (Novo Hamburgo)

“Natal”, de Alan Orlando (Santa Maria)

“Pastrana”, de Melissa Brogni e Gabriel Motta (Novo Hamburgo)

“Cassino”, de Gianluca Cozza (Rio Grande)

“Zagêro”, de Victor Di Marco e Márcio Picoli (Bagé e Porto Alegre)

“Janeiro”, de Boca Migotto (Porto Alegre)

“Correnteza”, de Diego Müller e Pablo Müller (Porto Alegre)

“Não Tem Mar Nessa Cidade”, de Manu Zilveti (Pelotas)

“Chibo”, de Gabriela Poester e Henrique Lahude (Tiradentes do Sul)

“Flor”, de Joana Bernardes (Esteio)

“Viagem Para Salvador”, de João Pedro Fiuza (São Leopoldo e Porto Alegre)

“Posso Contar Nos Dedos”, de Victória Kaminski (Pelotas)

“Entrega”, de Luiz Azambuja e Pedro Presser (Porto Alegre)

“Noz Pecã”, de Aline Gutierres (Itaqui e Porto Alegre)

“Está Tudo Bem”, de Rodrigo Herzog (Porto Alegre)

“Envergo Mas Não Quebro”, de Tatiana Sager (Porto Alegre)

Skip to content