Festival de Veneza 2022: “White Noise” passa em branco

A 79ª edição do Festival de Veneza teve como filme de abertura “White Noise” nova empreitada cinematográfica do realizador e argumentista Noah Baumbach. Ansiedade à parte, o novo longa-metragem da mente brilhante por trás do intenso “História de Um Casamento” e do visceral “A Lula e a Baleia” não conseguiu dar continuidade a sua fórmula de êxitos.
Reprodução / The New York Times
A comédia dramática de época da Netflix exibida no dia 31 de agosto em Veneza, foi a primeira produção de um serviço de streaming a abrir um festival de grande porte.
Na análise do crítico brasileiro Bruno Ghetti, do Folha de S.Paulo, a adaptação de Baumbach até preserva o aspecto analítico, mas só até certo ponto. É um filme mal controlado, que nunca parece estar muito certo do que tem a dizer —ou, ao menos, de como dizer aquilo que o diretor pretende transmitir.

Para Ghetti, ao mostrar as crises existenciais e o pânico de morrer do casal americano branco e de vida confortável, o longa não reserva tanto espaço a uma verve ácida como o quanto dedica de condescendência aos personagens. Baumbach parece mais fascinado por eles do que crítico.

Reprodução / MySA
Na visão de Ghetti, em “White Noise”, o realizador volta a querer que o público fique encantado com a sua criação, com aquelas pessoas amalucadas, mas demasiadamente humanas. Ghetti acredita que, falta, no entanto, força emotiva, carisma, apesar das boas performances. O longa-metragem resulta falho, incompleto, sem ser divertido como prometia nem ácido como poderia. Tanto que, a primeira sessão terminou sem aplausos ou vaias.

White Noise

A sinopse divulgada pela Netflix de “White Noise”, estrelado por Adam Driver como o professor Jack Gladney e Greta Gerwig como sua esposa Babette, descreve o filme como um tour-de-force emocional que deve invocar os muitos temas e mistérios de DeLillo de seu romance de 1985.

A Netflix acrescenta que o filme “dramatiza as tentativas de uma família americana contemporânea de lidar com os conflitos mundanos da vida cotidiana enquanto lida com os mistérios universais do amor, da morte e da possibilidade de felicidade em um mundo incerto”.

Para nossa felicidade, “White Noise” é a terceira reunião entre Baumbach, Driver e a Netflix, com seu sucesso indicado ao Óscar de 2019 “História de Um Casamento” – que garantiu a Driver uma indicação ao Óscar de Melhor Ator, Baumbach uma indicação ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Argumento Original, a Randy Newman sua 20ª nomeação na categoria voltada a banda sonora, a Scarlett Johansson sua segunda nomeação, que na mesma noite foi indicada ao Óscar de Melhor Atriz e Melhor Atriz Secundária, e a Laura Dern o Óscar de Melhor Atriz Secundária e “Enquanto Somos Jovens” de 2015 – comédia dramática estrelada por Ben Stiller e Naomi Watts – , respectivamente,  sendo seus primeiros trabalhos.

Para Greta Gerwig esta representa a quarta colaboração com Baumbach, depois de “Greenberg” (2010), “Frances Ha” (2012) e, mais recentemente, na autoria conjunta do guião do filme “Barbie”, com Margot Robbie e Ryan Gosling. Adam Driver também não é nenhum estranho no que toca a colaborar com Baumbach, já que “White Noise” marca o seu quinto trabalho juntos.

Nas duas últimas colaborações com Baumbach, “White Noise” e “História de Um Casamento”, Driver representa um pai aparentemente normal que se depara com vários problemas relacionados à vida e às assustadoras realizações que a acompanham.

Skip to content