25 de Abril

Festival Política 2024: Arranca hoje tendo como mote a intervenção e participação cidadã, nos 50 anos de Abril

O Festival tem como tema central a intervenção e a participação cidadã “nas instituições, nos atos eleitorais e nas suas comunidades”.
Festival Política 2024 Festival Política 2024

O Festival Política regressa esta quarta-feira (3 de abril) ao Cinema São Jorge tendo como tema central a intervenção e a participação cidadã “nas instituições, nos atos eleitorais e nas suas comunidades”, no ano em que se assinalam os 50 anos da Revolução do 25 de Abril.

O programa do Festival Política 2024 combina cinema, performances, música, humor, exposições e conversas, com entrada gratuita, realiza-se também em Braga, de 2 a 4 de maio, no Centro de Juventude, e estão confirmadas edições em Loulé (outubro) e em Coimbra (novembro).

Sob o lema “a hora de intervir é agora ou já”, a secção de cinema “que resulta de uma call internacional, conta este ano com uma seleção de 11 produções, entre curtas e longas-metragens, filmes de animação, ficção e documentários. O Festival Política atribui, todos os anos, as distinções Prémio do Júri – Filme do Ano, Prémio do Público e Prémio Futuro, para a melhor produção de realizadores sub-30.”, segundo informa o comunicado do festival.

Dos onze filmes, oito são curtas-metragens e três são longas: “Sapadores da Humanidade” de The Gandaya Colletive, um documentário que conta “a história de vida sinuosa de António José Botelho de Vasconcelos, nascido na Angola colonial, no seio de uma família portuguesa, em 1969”; “A sala de professores” de lker Çatak, um dos filmes mais badalados de 2023, estreado no Festival de Cinema de Berlim, nomeado para o Óscar de melhor filme internacional e um dos finalistas dos Prémios Lux; “A cor da liberdade”, de Julio Pereira, um documentário “que parte da história de José Pedro Soares, ex- preso político que foi detido e torturado pela PIDE entre 1971 e 1974, e contextualiza Portugal e a sua realidade social à época”.

Destaque ainda para o projeto audiovisual “Faz-te Ouvir”, no dia 4 de abril, que “propõe desmontar preconceitos e estereótipos associados à comunidade cigana em Portugal”, seguido de um debate intitulado de “Integração da Comunidade Cigana”. No dia 5 de abril, último dia do festival, pelas 21h30, há espetáculo de humor com Hugo Van Der Ding, “O que importa é participar”.

O Festival Política conta também com quatro exposições a decorrer em simultâneo, sobre inclusão, diversidade e democracia: “História LGBT+ em Portugal”, “Afinal quantas pessoas se abstêm em Portugal?”, “Polarização afetiva: causas e implicações para o sistema democrático” e “MulheresPPT”.

Programa cinema

3 abril
18h – Cinema
Sala 3
“Sapadores da Humanidade”, de The Gandaya Colletive, 69’ (Portugal)

19h15 – Cinema: Sessão Parlamento Europeu
Sala Manoel de Oliveira
“A sala de professores” de lker Çatak, 98’ (Alemanha)

4 abril
Cinema e conversa
Sala 3
“A cor da liberdade”, de Julio Pereira, 69’ (Portugal)

5 abril
17h30 – cinema
Sala 3
Sessão Corpos Políticos
“Filhas da Pátria”, de Catarina Almeida, 12’ (Portugal)
“Monte Clérigo”, de Luís Campos, 28’ (Portugal)
“Please make it work”, de Daniel Soares, 14’ (Portugal e Suíça)
“Mistida”, de Wilker Nhaga, 30’ (Portugal)

23h15 – cinema
Sala 3
Sessão Maiores de 18
“Will you come with me?”, de Derya Durmaz, 2’ (Alemanha)
“Fragments”, de Marie-Lou Béland, 9’ (Canadá)
“Nadie se enamora en un cine porno”, de Varinia Perusin, 9’ (Argentina)
“Maghreb’s hope”, de Bassem Ben Brahim, 24’ (Argélia, Brasil, Marrocos e Tunísia)

Programa completo aqui

Skip to content