Ingmar Bergman foi um dos maiores cineastas de todos os tempos. Ladeado por nomes como Federico Fellini, Alfred Hitchcock, Andrei Tarkovsky ou Jean-Luc Godard. O cineasta sueco escolheu ser virtuoso e irreverente no seu modo de fazer cinema, não se agarrou a preceitos nem complicou preconceitos. Investigou-os, tentou compreendê-los, abordou-os. Destes se fez arte e filosofia. Tudo isto versado numa tela de cinema e nas suas dezenas de produções, para além das adaptações em contexto cénico. Questionou-se com assinalável retórica visual. Articulou-se com a dimensão do sonho pensante. Realizou-se com uma obra que se compreende numa introspecção constante e exultante. Desde a doença até à morte, passando pela loucura e pela traição, é este o canto cinematográfico de Ingmar Bergman.

Agora, a Filmin, em colaboração com a Leopardo Filmes, lança um focus especial sobre o cineasta sueco. São mais de vinte filmes todos disponíveis em subscrição. Bergman marca o início da colaboração com a Leopardo Filmes, a qual vai enriquecer nos próximos meses o catálogo de Filmin com mais cinema clássico, novidades e alguns dos filmes mais premiados dos últimos tempos.

A Filmin é uma plataforma VoD portuguesa de cinema independente. Filmin está também disponível em Espanha e no México através de FilminLatino, uma plataforma criada em colaboração com IMCINE (Instituto Mexicano de Cinema). A plataforma, que tem um catálogo de mais de mil filmes, pode ser subscrita por apenas 6,95€ /mês, ou podes ver um filme por 2,95€.

Este artigo foi originalmente publicado na Comunidade Cultura e Arte, tendo sido aqui reproduzido com a devida autorização.