A obra portuguesa, “Florbela” de Vicente Alves do Ó, que foi elogiada pela crítica e pelo público, tendo sido vista por mais de 40 mil espectadores, retomou em setembro a sua tourneé pelo país. Em outubro começa a ganhar destaque internacional, tendo primeiro sido escolhida pela Academia Portuguesa de Cinema para representar Portugal nos Prémios Goya, que será entregue no dia 10 de fevereiro de 2013, em Madrid, na categoria de Melhor Filme Ibero-Americano. Este prémio premeia as melhores longas-metragens realizadas em qualquer pais da Comunidade Ibero-americana. Segundo o comunicado de imprensa da Academia de Cinema: “o júri, composto por Paulo Trancoso (produtor), Susana Borges (atriz), Virgílio Castelo (ator), José Carlos Oliveira (realizador) e Luís Galvão Teles (produtor e realizador), analisou todos os filmes estreados em Portugal, entre 1 de novembro de 2011 e 31 de outubro de 2012, e escolheu o filme realizado por Vicente Alves do Ó, produzido pela Ukbar Filmes, que foi lançado em março deste ano.”.

 

Recentemente foi anunciado pela produtora Ukbar Filmes, que “Florbela” vai estar em competição no Festival de Cinema Ibero-Americano de Huelva 2012, que irá decorrer entre 18 a 24 de novembro, competindo pelo prémio Colombo de Ouro.

 

“Florbela”, a segunda longa-metragem de Alves do Ó, é um retrato íntimo de um momento da vida da grande poeta portuguesa, Florbela Espanca, que conta com Dalila Carmo, Ivo Canelas e Albano Jerónimo nos papeis principais, terá ainda direito a uma série que será transmitida na RTP1.