Com atores que nada já têm a provar “Green Book – Um Guia para a vida”, uma biografia sobre a vida do famoso pianista e compositor de jazz americano Don Shirley, foi apresentado no Festival de Toronto 2018, onde venceu o principal galardão, o Prémio do Público, o que o torna num forte candidato aos Óscares 2019.

Estamos em 1962, Tony Lip (Vigo Mortensen), um segurança de Nova Iorque, procura trabalho. Don Shirley (Mahershala Ali), um pianista em ascensão, contrata-o como motorista e guarda-costas, para assim embarcarem numa digressão pelo preconceituoso Sul dos Estados Unidos. Apesar da história parecer previsível, a fórmula composta por um negro culto e refinado que emprega um branco iletrado e limitado parece funcionar.

Peter Farrely (realizador conhecido por comédias como “Doidos à Solta” (1994) e “Doidos por Mary” (1998) tem como intenção passar uma mensagem sobre as tensões raciais sempre latentes na sociedade norte-americana. O argumento é assinado pelo próprio realizador juntamente com Nick Vallelonga e Brian Hayes Currie.

Com estreia prevista para 24 de janeiro de 2019 em Portugal, este é um filme com temática pertinente e atual também no contexto português. Alguns críticos chamam a “Green Book” uma réplica do filme “Miss Daisy” (1989), pois “antes de 1975, os personagens negros nos filmes eram essencialmente salvos pelos personagens brancos…”.