Imagens do Real Imaginado 2013_1

Já é conhecido o programa da 10ª edição das Imagens do Real Imaginado (IRI), um Ciclo de Fotografia e Cinema Documental, promovido pelo Departamento de Artes da Imagem da ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo). O tema deste ano é UTOPIA(S), “Quando há 10 anos fizemos a 1a edição do IRI (Imagens do Real Imaginado — Ciclo de Fotografia e Cinema Documental) tínhamos em vista três objetivos: reforçar a ligação da escola à comunidade, promover a internacionalização e criar uma plataforma capaz de apoiar e promover a massa crítica indispensável ao aparecimento de novos cursos, nomeadamente um Mestrado em Comunicação Audiovisual. Todos esses objetivos foram cumpridos. E, todavia, não foram. Disse Eduardo Galeano da utopia: “Me acerco dos pasos, ella se aleja dos pasos. Camino diez pasos y el horizonte se corre diez pasos más allá. Por mucho que yo camine, nunca la alcanzaré. Para que sirve la utopia? Para eso sirve: para caminar.”. Por isso, caminhamos. O IRI é um fórum de reflexão — portanto, de revelação — que assume o real como ponto de partida para interpelar as imagens do Cinema e da Fotografia, mas também das Artes digitais. Perfila-se, por isso, como uma ferramenta para anotar, atualizar, descodificar e recriar os sinais do tempo, muitas vezes recuperando a memória de outros caminhos, outras vezes ousando caminhos novos, atento, sempre, à centralidade e à semântica variável da imagem num mundo que precisa de ser lido: imaginado.”.

O programa desta edição é rico, quer para a fotografia e quer para o cinema, com conferências, debates, masterclass, exposições e filmes. A sessão de abertura realiza-se no dia 4 de novembro com a projecção de “Melodia do Mundo” (1926), do realizador alemão Walter Ruttman, um “teste áudio-visual inovador” e ao mesmo tempo “um filme falhado”. Ruttman foi um dos mais importantes cineastas do cinema experimental, conhecido sobretudo por “Berlim: Sinfonia de uma Cidade” (1927), que é lembrado pela teoria e história do cinema como “um dos filmes fundamentais da Sinfonia de Cidade e das vanguardas cinematográficas europeias da década de 1920.”.

Destaca-se de imediato no programa a presença do “mestre de todos nós”, Manoel de Oliveira, que irá estar presente na conferência de Mário Cláudio e no lançamento do livro “Aniki-Bóbó: Enfants dans lá ville”, este apresentado por Patrick Straumann e Anne Lima. Será exibido “Aniki-Bóbó” (1947) e “O Porto da Minha Infância” (2001), de Manoel de Oliveira, “Chronique d’un éte” (1960), de Jean Rouch e algumas curtas seleccionadas pelo Curtas Vila do Conde, pelo Cinanima, pelo Cineclube do Porto e pela produtora o Som e a Fúria.

Para o encerramento desta edição esta prevista, no Museu do Douro, a exibição de três filmes concerto: “Viagem à lua” (1902) de Georges Mélies, “Opus 1” (1921) de Walter Ruttman e “Um Cão Andaluz” (1929) de Luis Buñuel.

Porque o IRI “é um fórum de reflexão – portanto, de revelação”, irão decorrer varias Masterclasses de fotografia (Eugenia Vilela, Paulo Catrica, Vergílio Ferreira, Nelson D’aires, Lara Jacinto e Manuel Magalhães) e de cinema (Patricia Nogueira, Luis Urbano, Christian Rouaumd, Nigel Orillard, Lucas Serra e Huw Davies).

O IRI 2013 decorre de 4 a 9 de novembro , no Porto, na Biblioteca Almeida Garrett e no Museu do Douro, com entrada livre.

 

PROGRAMA
04 NOV. SEGUNDA
14H00 – Sessão de aberturaMelodia do Mundo de Walter Ruttmann

15H30 – Masterclass de Eugénia Vilela: Utopia

16H30 – Masterclass de Patrícia Nogueira: Utopia da representação

17H30 – Masterclass de Paulo Catrica: Galápagos

18H30 – Utopia do Curtas Vila do CondeRua da Estrada, de Graça Castanheira; Um rio chamado Ave, de Luís Alves de Matos; Cinzas, ensaio sobre o fogo, de Pedro Flores (apresentado por Dario de Oliveira)

21H30 – Masterclass de Luís Urbano: Fazer cinema em Portugal; Rei inútil, de Telmo Churro; Entrecampos, de João Rosas; Gambozinos, de João Nicolau; Na escola, de Jorge Cramez

 

05 NOV. TERÇA

14H00 – Masterclass de Virgílio Ferreira: Ser e devir. Being and becoming

15H00 – A Utopia do Cinanima: Crac!, de Frédéric Back; L’homme sans ombre, de Georges Schwizgebel; La maison en petits cubes, de Kunio Kato; Bisclavret, de Emilie Mercier; Chinti, de Natália Mirzoyan; Gernika,

de Ángel Sandimas (apresentado por Carlos Luís Gaio)

16H45 – Masterclass de Nelson D’Aires: Álbum de família, do documento à utopia. Estação Imagem Mora

18H00 – Seleção de filmes e trabalhos multimédia do DAI (apresentado por José Quinta Ferreira e Tiago Dionísio)

21H30 – Utopia do Curtas Vila do CondeMilagre de Santo António, de Sergei Loznitsa; Reconversão, de Thom Andersen (apresentado por Dario de Oliveira)

 

06 NOV. QUARTA

14H00 – Cinema experimental: Weekend, de Walter Ruttman; Free Radicals: Une Histoire du Cinéma Expérimental, de Pip Chodorov (apresentado por Jorge Campos)

16H15 – Masterclass de Lara Jacinto: Troika

17H30 – Masterclass de Christian Rouaud: Cinema e desobediência civil; Les Lip, l’imagination au pouvoir, de Christian Rouaud

21H30 – Seleção de filmes do DAI: Chronique d’un été, de Jean Rouch (apresentado por José Ribeiro)

 

07 NOV. QUINTA

14H00 – Masterclass de Nigel Orillard: Utopia: future dreams, past fears and present nightmares

15H00 – Masterclass de Manuel Magalhães: Elementos sobre a fotografia no Porto no século XIX

16H00 – A utopia do Cineclube do Porto: José A. Pinto, Regina Machado

18H00 – Conferência de Mário Cláudio: Manoel de Oliveira, um chão comum; Lançamento do livro Aniki-Bóbó: Enfants dans la ville (apresentado por Patrick Straumann, Anne Lima); Aniki-Bóbó, de Manoel de Oliveira (presença de Manoel de Oliveira)

21H30 – Viagem até casa, de Bárbara Veiga; O Porto da minha infância, de Manoel de Oliveira (apresentado por António Preto)

 

08 NOV. SEXTA

10H30 – Masterclass de Lucas Serra: Direitos de Autor. Direito à Imagem

14H00 – Masterclass de Huw Davies: Alternative screens — Cinema, space and architecture

15H00 – Scopio e Archivo: Olívia da Silva, Pedro Leão, Ana Catarina Pinho

16H00 – Utopia(s) — Cinanima: L’Idée, de Bertold Bartosch; 25 October, the first day, de Youri Norshteyn; Malban, de Élodie Bouedec; Le bûcheron des mots, de Izù Troin; Rouxinóis em Dezembro, de Theodore Ushev (apresentado por Nigel Randsley)

17H15 – Utopia e cinema: Mesa redonda com Christian Rouaud, João Teixeira Lopes, Pedro Sena Nunes; Tous au Larzac, de Christian Rouaud

21H30 – Seleção de filmes do DAI: A cicatriz branca [2012. 90’. ES] de Margarita Ledo Andión (apresentado pela realizadora)

 

09 NOV. SÁBADO (Museu do Douro)

16H30 – CINECOA 2013, O México fotografado por Luis Buñuel: Exposição fotográfica

17H30 – Mesão Frio: Percursos de uma identidade: Exposição e projeção de filmes

21H30 – Projeto Utopias: Filme Concerto com Fernando Ramos, Nuno Aroso, Dimitris Andrikopoulos; Voyage à la Lune, de Georges Méliès; Opus 1, de Walter Ruttman; Le Chien Andalou, de Luis Buñuel

 

Imagens do Real Imaginado 2013_2

Fonte: Imagens do Real Imaginado