Foi divulgado na terça-feira passada a programação oficial da 8ª edição do Festival Internacional de Cinema Independente – IndieLisbia 2011. A cerimónia de abertura deste ano será feita com dois filmes: o drama biográfico,“Carlos”, de Olivier Assayas e “Les Amours Imaginaires” de Xavier Dolan“Carlos” (estreia nas salas nacionais a 2 de Junho) será o primeiro filme a ser exibido no IndieLisboa, no dia 5 de Maio, às 21h15, no Grande Auditório da Culturgest, conta a história de uma figura chave do terrorismo internacional dos anos 70 e 80, Carlos, “o Chacal”, foi simultaneamente associado à extrema-esquerda e considerado um mercenário oportunista ao serviço dos serviços secretos de governos asiáticos. “Les Amours Imaginaires” irá passar no mesmo dia, às 21h30, no Cinema São Jorge, conta uma história sobre dois amigos que se apaixonam pelo mesmo rapaz. O filme esteve na secção Un certain regard do 63º Festival de Cannes e é mais uma antestreia no festival, com estreia salas de cinema em data ainda a anunciar, com distribuição da Alambique.

 

Apesar dos fortes cortes orçamentais por parte do ICA (Instituto do Cinema e do Audiovisual), a organização do festival esforçou-se por criar uma boa programação de filmes, tentando manter o nível de qualidade e sucesso que foi a edição de 2010, a melhor até ao momento. Assim, o Indie 2011 contará com 245 filmes, dos quais 82 são longas-metragens e 163 são curtas-metragens. No total dos filmes seleccionados, incluem-se 28 filmes que serão exibidos em estreia mundial (mostrados em sala pela primeira vez em todo o mundo), 15 filmes em estreia internacional (exibidos pela primeira vez fora do seu país de origem), 4 em estreia europeia (exibidos pela primeira vez na Europa) e 163 em estreia nacional (57 longas e 106 curtas metragens). Nesta edição estarão presentes 30 filmes portugueses (divididos entre 9 longas e 21 curtas), 20 dos quais integram a competição nacional.

 

Na competição nacional de longas-metragens, o festival irá contar com seis filmes: “América” de João Nuno Pinto, “O Barão” de Edgar Pêra, “Linha Vermelha” de José Filipe Costa, “O que há de Novo no Amor?” de Hugo Martins, Hugo Alves, Mónica Santana Baptista, Patrícia Raposo, Rui Santos e Tiago Nunes, “Swans” de Hugo Vieira da Silva “Viagem a Portugal” de Sérgio Tréfaut. João Nuno Pinto e equipa de realizadores jovens do filme “O que há de Novo no Amor?” são uma estreia nesta competição.

 

Na competição internacional de longas-metragens, o festival irá contar com dez filmes: “Attenberg” de Athina Rachel Tsangari (Grécia), “Jean Gentil” de Laura Amelia Guzman, Israel Cardenas (México), “A Little Closer” deMatthew Petock (EUA), “Above Us Only Sky” de Jan Schomburg (Alemanha), “The Ballad of Genesis and Lady Jaye” de Marie Losier (França), “La BM du Seigneur” de Jean-Charles Hue (França), “O Céu Sobre os Ombros”de Sérgio Borges (Brasil), “Gravity Was Everywhere Back Then” de Brent Green (EUA), “Memory Lane” deMikhael Hers (França) e “Morgen” de Marian Crisan (França).

 

Será feita uma homenagem ao realizador brasileiro Júlio Bressane, que o IndieLisboa irá prestar, exibindo 17 filmes na secção “Herói Independente”. “Cleópatra”, “A Erva do Rato”, “Miramar”, “Filme de Amor” e ” São Jerônimo”são alguns dos filems que vão passar na retrospectiva. No ano passado, o Grande Prémio na competição de longas-metragens foi para os EUA, com o filme “Go Get Some Rosemary” de Josh e Benny Safdie e o Prémio de Melhor Filme Português foi para “Guerra Civil” de Pedro Caldas. Este o ano o festival decorre de 5 a 15 de Maio, no Cinema Sao Jorge, na Culturgest, no Teatro do Bairro e na Cinemateca Portuguesa.

 

Para consultar a programação completa clique aqui