Instituto de Cinema Polaco (PISF) apoia indústria fílmica local durante a pandemia

Devido ao impacto do Covid-19, os cinemas polacos tiveram de fechar as suas portas dia 12 de março e, pouco tempo depois, também os estúdios de filmagens tiveram de fazer o mesmo. Mais ainda, os festivais de cinema que estavam marcados para a primavera e início do verão, incluindo Docs Against Gravity, Animator e Cinema on the Border, adiaram as suas datas para o outono. Os inscritos nestes eventos estavam com esperança de que o instituto fosse introduzir uma bolsa para desenvolver uma plataforma digital para que estes pudessem ocorrer online. Tanto o Polish Filmmakers’ Association como a Union of Audiovisual Authors and Producers já se ofereceram para pagar os direitos de autor em avanço.

Os fundadores do PISF convocaram uma reunião especial online com produtores, distribuidores e outros profissionais essenciais da comunidade para avaliar esta situação e propor uma estratégia para os próximos meses. Assim, em cooperação com o Polish Ministry of Culture and National Heritage, decidiram estender as suas promessas de subsídios por um período de três anos e esta mudança vai englobar os quarenta e cinco projectos aos quais já tinha sido dada esta garantia. Estes serão também ser classificados como “difíceis”, ou seja, podem aplicar-se para um subsídio que engloba os custos de 70% do seu orçamento, em vez de os normais 50%.

Algumas outras mudanças incluem a recusa da estreia obrigatória em salas de cinema para os filmes cofinanciados pela PISF e as regras de candidatura para bolsas de “custos qualificados” para festivais de cinema serem menos exigentes, dando assim uma oportunidade aos organizadores para cobrir todos os custos com esta ajuda. Outras moções analisadas tiveram como objetivo voltar a reabrir as salas de cinema o mais depressa possível e problemas com acordos de distribuição.

Estas reuniões serão feitas online e semanalmente, sendo que a última decorreu ontem, dia 27 de março. Irão ser comunicadas mais informações brevemente.

Também o ICA já anunciou medidas excecionais. Leia-as aqui.