Uma das mais intensas maratonas cinematográficas do ano termina hoje: a extraordinária edição de 2017 do LEFFEST chegou ao fim.

O veredicto do Júri, presidido por David Cronenberg, e composto por outros nomes de extrema relevância no universo cinematográfico (e artístico) mundial, como Ildikó Enyedi (realizador húngara) e Bette Gordon (realizadora) foi, como tal, lançado. Na edição deste ano, a selecção da competição era composta por alguns dos maiores nomes do mundo do cinema contemporâneo, que ressalta pela sua relevância e importância nesse mesmo mundo (filmes que dominaram Cannes, que arrecadaram os prémios mais importantes dos festivais europeus de maior relevância).

O grande vencedor é “Tesnota”, do realizador russo Kantemir Balagov, que arrecadou dois prémios:  o Prémio Revelação TAP para a atriz principal Olga Dragunova e o Prémio de Melhor Filme Jaeger-Lecoultre. A primeira longa-metragem de Balagov, que foi apresentada na secção Un Certain Regard e que recebeu o prémio da crítica, FIPRESCI, surpreende e é, assim, destacada dentro de uma competição composta por obras de realizadores conceituados e de filmes premiados por todo o mundo.

O Prémio Especial do Júri João Bénard da Costa foi atribuído a “Cocote”, de Nelson Carlo de Los Santos Arias: um filme onde se estabelece um espaço para o confronto entre os sistemas de fé (produtores de sistemas de valores e da moralidade) e a tentativa de defesa de um povo.

“Call me By Your name”, de Luca Guadagnino, é uma obra de exploração do desejo, dos tempos da adolescência, e foi o filme escolhido pelo Público enquanto o grande vencedor (Prémio NOS).

Prémio Melhor Filme Jaeger-LeCoultre
Tesnota, de Kantemir Balagov

Prémio Especial do Júri “João Bénard da Costa” 
Cocote, de Nelson Carlo de Los Santos Arias

Prémio Revelação TAP – Melhor Actriz
Olga Dragunova, em Tesnota

Prémio NOS Melhor Filme – Escolha do Público
Chama-me pelo teu nome, de Luca Guadagnino

Prémio para a Melhor Curta-Metragem
A Man, My Son, de Florent Gouëlou
LA FEMIS – Paris, França

Menções Honrosas:
Les Yeux Fermés, de Léopold Legrand
INSTITUT NATIONAL SUPÉRIEUR DES ARTS DU SPECTACULE – Bruxelas, Bélgica
Heimat, de Emi Buchwald
THE POLISH NATIONAL FILM TELEVISION AND THEATER – Lodz, Polónia