A Leopardo Filmes vai apresentar a partir do dia 11 de julho um extenso ciclo de cinema dedicado ao cineasta espanhol Luis Buñuel. São 25 filmes de um dos nomes maiores da arte no século XX: o cineasta (e também escritor) Luis Buñuel (Calanda, Espanha, 1900 — Cidade do México, 1983), com um especial enfoque no chamado “período mexicano”, extremamente rico e praticamente desconhecido em Portugal. Dos 25 filmes a serem exibidos (em cópias digitais restauradas), muitos deles são inéditos comercialmente em Portugal, tendo sido exibidos apenas na Cinemateca Portuguesa, que no início dos anos 80 dedicou um ciclo ao cineasta.

Com início a 11 de Julho, este programa vai prolongar-se até ao final do ano, por salas de todo o país: em Lisboa, no Espaço Nimas; no Porto, no Teatro Campo Alegre; em Coimbra, no Teatro Académico de Gil Vicente; em Braga, no Theatro Circo; em Setúbal, no Auditório Charlot; na Figueira da Foz, no Centro de Artes e Espectáculos. E ainda em cine-teatros e cineclubes de norte a sul, e ilhas, ficando estes filmes, a partir de agora, disponíveis para circulação.

Serge Daney, crítico de cinema francês, escreveu o seguinte sobre o um dos realizadores mais subversivos de sempre: “Conhecemos o rasgo de génio de Buñuel. Qualquer que seja o sistema de produção no qual trabalha, mais do que saber correr o risco e ultrapassá-lo, Buñuel é sempre ele próprio. É por isso que o mais individualista dos cineastas, longe de fazer um discurso sobre as virtudes do individualismo, provou, nos vários sítios por onde passou e trabalhou, que era irredutivelmente Buñuel.”

Fazem parte do programa 25 X BUÑUEL filmes como: “Um Cão Andaluz” (1928, um dos seus primeiros filmes, co-realizado com Salvador Dalí, feito sob a influência do Manifesto Surrealista), “Terra Sem Pão” (1932, um documentário sobre uma das regiões mais pobres de Espanha, que viria também a ser proibido), “Los Olvidados” (1950), “Viridiana” (1961, vencedor da Palma de Ouro em Cannes que provocou um enorme escândalo ao ponto de ser proibido em Espanha), “Diário de uma criada de Quarto” (1963), “A Bela de Dia” (1966, com Catherine Deneuve), “Tristana” (1969), “O Charme Discreto da Burguesia” (1972, vencedor do Óscar para o Melhor Filme Estrangeiro), e “Este Obscuro Objecto do Desejo” (1977, o seu último filme).

Programa 25 X BUÑUEL:

UN CHIEN ANDALOU (1929) – Luis Buñuel (co-realizado com Salvador Dalí)
L’AGE D’OR (1930) – Luis Buñuel
LAS HURDES, TIERRA SIN PAN / TERRA SEM PÃO (1932) – Luis Buñuel
LOS OLVIDADOS (1950) – Luis Buñuel
SUSANA, DEMONIO Y CARNE (1951) – Luis Buñuel
LA HIJA DEL ENGAÑO / A FILHA DO ENGANO (1951) – Luis Buñuel
UNA MUJER SIN AMOR (1952) – Luis Buñuel
EL BRUTO (1953) – Luis Buñuel
LAS AVENTURAS DE ROBINSON CRUSOE / AS AVENTURAS DE ROBINSON CRUSOE (1953) – Luis Buñuel
ÉL (1953) – Luis Buñuel
ABISMOS DE PASIÓN / CUMBRES BORRASCOSAS / O MONTE DOS VENDAVAIS (1954) – Luis Buñuel
ENSAYO DE UM CRIMEN / ENSAIO DE UM CRIME (1955) – Luis Buñuel
LA MORT EN CE JARDIN / LABIRINTO INFERNAL (1956) – Luis Buñuel
NAZARÍN (1958) – Luis Buñuel
LE FIEVRE MONTE À EL PAO / A FEBRE SOBE EM EL PAO (1959) – Luis Buñuel
VIRIDIANA (1961) – Luis Buñuel
EL ANGEL EXTERMINADOR (1962) – Luis Buñuel
LE JOURNAL D’UNE FEMME DE CHAMBRE / DIÁRIO DE UMA CRIADA DE QUARTO (1963) – Luis Buñuel
SIMÓN DEL DESIERTO (1964) – Luis Buñuel
BELLE DE JOUR / A BELA DE DIA (1966) – Luis Buñuel
TRISTANA (1969) – Luis Buñuel
LA VOIE LACTÉE / A VIA LÁCTEA (1969) – Luis Buñuel
LE CHARME DISCRET DE LA BOURGEOISIE / O CHARME DISCRETO DA BURGUESIA (1972) – Luis Buñuel
LE FANTÔME DE LA LIBERTÉ/ O FANTASMA DA LIBERDADE (1974) – Luis Buñuel
CET OBSCUR OBJET DU DÉSIR / ESTE OBSCURO OBJECTO DO DESEJO (1977) – Luis Buñuel