“Mãe”, sobre o alzheimer e o papel do cuidador informal, estreia em maio nos cinemas

A produtora Neblina Filmes vai estrear o filme do jovem realizador madeirense João Brás a 1 de maio nos cinemas.
"Mãe" (2024), de João Brás "Mãe" (2024), de João Brás
"Mãe" (2024), de João Brás

Depois de ter realizado cinco curtas-metragens, como “Veranico” (2020) ou “A Fuga” (2022), João Brás estreia-se no formato de longa-metragem com “Mãe”, um drama que retrata as consequências da doença de Alzheimer no seio familiar e a importância do papel dos cuidadores informais.

Escrito e realizado pelo jovem madeirense, o filme “é inspirado na avó do cineasta, que sofre de alzheimer e que permitiu, através da sua evolução, entender as consequências que trouxe ao seu seio familiar. Um retrato duro e cru dos dias de hoje, num confronto geracional com uma mensagem muito importante para o futuro e para os jovens.”

O filme conta a história de “dois irmãos que cuidam da sua mãe que é doente de alzheimer, uma realidade vivida por muitas famílias”, e “explora o papel do cuidador informal ao mesmo tempo que este lida com as diversas situações do seu dia a dia.”

Rodado integralmente na Ilha da Madeira, o filme conta no elenco com Teresa Faria, Diogo Tavares, Gabriel Pacheco, Christelle Caboz, Ana Barros, Hélder Agrela, Mariça Silva, Ana Marta Kaufmann e Francisco Lobo Faria.

Produzido por Diogo Teotónio, “Mãe” conta com a assinatura musical de MAX, João Borsch e Live Brisk. Produzido e distribuído pela Neblina Filmes tem estreia marcada dia 1 de maio nos cinema nacionais. O trailer oficial foi lançado esta sexta-feira com o tema original “Mãe” dos D.A.M.A. .

Skip to content