“A Glória de Fazer Cinema em Portugal”, de Manuel Mozos e “O Guardador”, de Rodrigo Areias integrarão a competição internacional do reconhecido festival europeu de curtas-metragens, o Clermont-Ferrand, que decorrerá entre 5 e 13 de fevereiro em França. Ambos são os únicos títulos portugueses em competição, seleccionados de entre as 7778 obras submetidas a concurso.

“A Glória de Fazer Cinema em Portugal” estreou em julho na 23ª edição do festival curtas de Vila do Conde. O filme tem como premissa uma carta escrita por José Régio, em 1929, a Alberto Serpa, onde o escritor manifesta a sua vontade de fundar uma produtora de cinema. O desfecho deste pedido, contudo, nunca chegou a ser conhecido durante quase noventa anos.

Este filme tenta levantar o véu sobre esse mistério. Já “O Guardador”, conta a história de Constantino, pastor de dia e de um museu de noite. Trabalha sem parar por não ter onde viver, até que uma rapariga se cruza com ele.

O Festival Clermont-Ferrand ajudou ainda a lançar a carreira de alguns dos melhores realizadores do mundo, tais como Jean-Pierre Jounet (“O Fabuloso Destino de Amélie”) e Eric Zonca (“A Vida Sonhada Dos Anjos”).