Maria de Medeiros, Catarina Wallenstein e João Nunes Monteiro vencem Prémio Atores de Cinema Fundação GDA

O Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA regressa ao Teatro da Trindade, em Lisboa, depois de um ano de interrupção devido à pandemia da Covid-19. Maria de Medeiros foi esta noite (dia 7) distinguida como Melhor Atriz Principal pelo seu desempenho no filme Ordem Moral. Catarina Wallenstein recebeu o prémio de Melhor Atriz Secundária e João Nunes Monteiro recebeu o galardão na categoria Novo Talento. Este prémio destaca-se por ser atribuído por atores a atores.

Maria de Medeiros é a vencedora da 14ª edição do Prémio Atores de Cinema na categoria de “Melhor Atriz Principal”, pelo seu desempenho no filme Ordem Moral, de Mário Barroso, em que interpreta a personagem Maria Adelaide: a proprietária do Diário de Notícias que foi acusada de ser louca aos 48 anos.

O prémio na categoria de “Melhor Atriz Secundária” vai este ano para Catarina Wallenstein, pelo seu papel na longa-metragem Um Animal Amarelo, de Felipe Bragança. A actriz já tinha recebido o mesmo prémio no passado, pela actuação em Mar de Margarida Gil.

João Nunes Monteiro foi distinguido na categoria “Novo Talento” pela interpretação do jovem soldado Zacarias em Mosquito, um filme de João Nuno Pinto.

 

O Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA – que presta homenagem pública ao trabalho de interpretação dos atores portugueses – regressou este ano ao formato presencial, depois de um ano de interrupção devido à pandemia da Covid-19. Para além dos artistas premiados este ano, será homenageado o trabalho dos nove atores e atrizes galardoados remotamente no ano passado.

A GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas é a entidade que em Portugal gere os direitos de propriedade intelectual de músicos, atores e bailarinos. A Fundação GDA é o seu instrumento para valorizar o trabalho dos artistas e promover o seu desenvolvimento humano e cultural e a sua proteção social. Um dos traços distintivos deste prémio, atribuído anualmente pela Fundação GDA, é tratar-se de um reconhecimento entre pares: são prémios de interpretação atribuídos a atores por atores. A Fundação GDA escolhe, todos os anos, um júri diferente composto por três atores que analisa as obras da lista de produções cinematográficas de longa-metragem portuguesas de ficção, conforme emitido em comunicado pela Fundação.

O painel deste ano foi composto por Almeno Gonçalves, Luísa Cruz e Teresa Faria, os quais avaliaram o trabalho de interpretação dos colegas nas obras estreadas comercialmente em sala entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2020.

O Prémio tem como objetivo promover, valorizar e distinguir anualmente o trabalho dos atores e das atrizes de nacionalidade ou língua portuguesa, no formato cinema.

Skip to content