Monstra 2020: Vencedores

Terminou ontem a 20.ª edição do Monstra – Festival de Animação de Lisboa que teve este ano, excecionalmente, uma edição online.

As curtas-metragens portuguesas “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias”, de Regina Pessoa e “Purpleboy”, de Alexandre Siqueira receberam em ex aequo o Prémio SPA / Vasco Granja para Melhor Curta-Metragem Portuguesa.

“Devido à qualidade extremamente elevada da seleção, o júri decidiu, por unanimidade, repartir o Grande Prémio SPA / Vasco Granja entre dois títulos de qualidade excecional, reconhecidos internacionalmente, que se tornarão certamente dois marcos na rica história da animação portuguesa”, afirmam Luís Salvado, Natalie Woolf e Ülo Pikkov, que constituem o painel de jurados da competição portuguesa.

“Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias”, de Regina Pessoa, que venceu ainda o prémio de Melhor Curta Portuguesa dentro da Competição de Curtas-Metragens – Prémio RTP, o júri justificou assim a atribuição do prémio: “uma história muito pessoal tornada universal pelo talento da sua realizadora, que uma vez mais prova que é uma das melhores deste meio, numa homenagem a uma figura boa, mas mal compreendida da sua juventude, trazida de volta à vida pela força de um trabalho excecional de animação, de música e de narrativa”.

Já “Purpleboy” é “um belíssimo trabalho de animação que traz uma abordagem sofisticada à narração dos temas complexos da identidade de género, da política e da relação entre um pai e a sua criança, contado de uma forma muito simbólica, expressiva e muito pessoal”, justifica assim o júri.

“Freeze Frame”, de Soetkin Verstegen, uma coprodução belga e alemã, recebeu o Grande Prémio RTP, o principal galardão do festival. O júri, composto por Daniel Gorjão, Noel Palazzo, Marta Madureira, Raimund Krumme e Wiola Sowa, justificou assim a sua decisão: “Pela estética singular, pela sua técnica de animação apurada e exímia e pela novidade e frescura. Esta animação, Freeze Frame, destaca-se das restantes por apresentar um caminho futuro para a animação, resgatando traços do passado.”

Vencedores Monstra 2020

Competição de Curtas-Metragens – Prémio RTP

Grande Prémio MONSTRA – Curta-metragem
Freeze Frame, de Soetkin Verstegen (Bélgica, Alemanha)
Melhor Curta Experimental
Don’t Know What, de Thomas Renoldner (Áustria)
Melhor Curta Portuguesa
Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa (Portugal, Canadá, França)
Prémio Especial do Júri
Traces, de Hugo Frassetto (França, Bélgica)
Menções Honrosas 
Roughhouse, de Jonathan Hodgson (Reino Unido, França)
Am I A Wolf?, de Amir Houshang Moein (Irão)

Competição de Estudantes – Júri Sénior

Prémios Dolce Gusto e World Academy
Melhor Curta de Estudantes 
2.3 x2.6 x 3.2, de Jiaqi Wang (China)
Melhor Curta de Estudantes Portuguesa
Ode to Childhood, de João Monteiro e Luís Vital (Portugal)
Prémio Especial do Júri
Daughter, de Daria Kashcheeva (República Checa)
Menções Honrosas 
Nós, os Lentos, de Jeanne Waltz (Portugal)
Until it turns black, de Anastasiia Falileieva (Ucrânia)

Competição de Estudantes – Júri Junior

Melhor Curta de Estudantes 
Daughter, de Daria Kashcheeva (FAMU, República Checa)
Melhor Curta de Estudantes Portuguesa
Cellfie, de Débora Mendes (Universidade Lusófona, Portugal)
Menções Honrosas
Until it turns black, de Anastasiia Falileieva (Kyiv National University, Ucrânia)
IHR, de Amélie Cochet e Louis Moehrle (Hochschule Luzern Design & Kunst BA, Suíça)

Competição de Curtíssimas

Melhor Curtíssima Internacional 
Dots, de Micky Wozny (Reino Unido)
Melhor Curtíssima Portuguesa 
Catarse, de Margarida Roxo Neves e Tiago Gomes (Portugal)
Menções Honrosas
WIND, de Dana Sink (EUA)
XYU, de Donato Sansone (França)

Competição Portuguesa

Melhor Curta-Metragem Portuguesa – Prémio SPA | Vasco Granja
Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa (Portugal, Canadá, França)
Purpleboy, de Alexandre Siqueira (Portugal, França, Bélgica)
Menção Honrosa 
O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto, de Bruno Caetano (Portugal)
Menção Honrosa
A Mind Sang, de Vier Nev (Portugal)