Morreu a atriz e ativista Sacheen Littlefeather, aos 75 anos

Sacheen Littlefeather na cerimónia dos Óscares Créditos: Globe Photos / Shutterstock

Sacheen Littlefeather, a atriz e ativista que subiu ao palco para declinar o Óscar de Marlon Brando, morreu neste domingo aos 75 anos de idade.

Sacheen Littlefeather na atualidade Créditos: Frazer Harrison/Getty Images
Sacheen Littlefeather na atualidade Créditos: Frazer Harrison/Getty Images

A ativista pelos direitos dos nativos americanos que aceitou, em 1973, representar Brando para rejeitar o Óscar ganho por “O Padrinho”, padecia de cancro da mama desde 2018.

Em junho, 50 anos depois, a Academia pediu finalmente desculpa a Littlefeather pelo tratamento a que foi sujeita naquela noite dos Óscares. Sacheen Littlefeather esteve presente num evento presencial, no Museu da Academia, a 17 de setembro, para a formalização do pedido de desculpas.

Na noite daquela cerimónia, apenas lhe foram concedidos 60 segundos para ler o seu discurso sobre os direitos dos nativos americanos e foi acompanhada para fora do palco com membros do público a apupá-la.

O objetivo era protestar contra o modo como os nativos americanos eram representados em Hollywood e chamar a atenção para a ocupação de Wounded Knee, onde centenas de nativos americanos se confrontaram com as forças da autoridade.

Foi-lhe permitido ler o discurso na íntegra numa conferência de imprensa, mais tarde, e chegou a ser publicado no New York Times. Entre os nomes que a criticaram por interromper a cerimónia, encontram-se Raquel Welch, Clint Eastwood e Michael Caine, para além de John Wayne, que tentou subir ao palco para retirá-la.

Sacheen Littlefeather no seu percurso como ativista
Sacheen Littlefeather no seu percurso como ativista

Sacheen Littlefeather nasceu Marie Louise Cruz na Califórnia, Estados Unidos, em 1946, e começou a interessar-se por estas questões ainda na faculdades e participou na ocupação da ilha de Alcatraz, em 1970, altura em que adotou o seu nome atual.

Conheceu Marlon Brando depois de juntar-se à Associação dos Atores de Cinema, com quem partilhava semelhantes interesses, através de Francis Ford Coppola que, tal como Littlefeather, vivia também em São Francisco.

A atriz teve alguns pequenos papéis no cinema, mas afirmou ter sido colocada na lista negra de Hollywood depois dos Óscares e regressou a São Francisco para se dedicar ao ativismo e trabalhar em teatro e saúde, nomeadamente no importante trabalho de proteção e acompanhamento dos nativos americanos atingidos pelo HIV/Sida.

Skip to content