António Gaio

Morreu ontem (22 de agosto) António Gaio aos 90 anos, informou o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA). Sócio fundador e membro da direcção da Cooperativa Nascente em 1976, António Gaio ajudou a fundar, após o 25 de Abril, o Cinanima – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, tornando-se director do certame em 1980. Um grande adepto da banda desenhada e pelo cinema de animação, foi responsável pela criação de um dos mais importantes festivais internacionais de cinema de animação. “Sob a sua direção, o Cinanima tornou-se num dos mais conceituados festivais de animação, a nível internacional, sendo um dos poucos que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood considera essencial na selecção ao Óscar de Melhor Curta-Metragem.”.

No que diz respeito à competição nacional do Cinanima, o seu nome foi atribuído a um dos prémios do certame, o Prémio António Gaio – Melhor Filme na Competição Nacional. Na qualidade de diretor do Festival, integrou por duas vezes o júri dos concursos do Instituto do Cinema, Audiovisual e Multimédia (atual ICA). Em 1997, recebeu a Comenda de Mérito Cultural, atribuída pelo Presidente da República.

António Gaio dedicou muitos anos ao movimento cineclubista em Portugal. Em 2000, publicou um livro pioneiro “História do Cinema Português de Animação – Contributos”, um importante livro sobre a história da animação portuguesa.

O site do Cinanima informa que Gaio foi ainda “dirigente do Sporting Clube de Espinho e da Associação Académica de Espinho durante 28 anos e foi fundador da secção de Ginástica Desportiva da Académica de Espinho, em 1945, mas também passou pelo jornalismo, tendo ocupado cargos editoriais e administrativos da imprensa local em jornais como a Defesa de Espinho e o Maré Viva, do qual foi fundador (…) Pelo seu contributo ao Festival, à cidade de Espinho e ao cinema de animação nacional e internacional, o nosso imenso e sentido agradecimento.”.

Fonte: ICA