Morreu no passado dia 28 de agosto o ator Gene Wilder, aos 83 anos em sua casa. Gene foi um dos rostos mais populares da comédia americana dos anos 1970 e 1980, que ficou conhecido por interpretar o primeiro Willy Wonka no cinema, em “A Maravilhosa História de Charlie” (1971).

Estreou-se no cinema com um pequeno papel em “Bonnie e Clyde” (1967) de Arthur Penn mas foi na comédia que dedicou a sua vida. O ator norte-americano ficou conhecido pelos seus papeis em filmes como “Frankenstein Júnior” (1974) e “The Producers” (1967), ambos realizados por Mel Brooks, com quem colaborou diversas vezes, e que lhe permitiram nomeações para os Óscares.

Trabalhou ainda em filmes como: “O ABC do Amor” (1972) de Woody Allen, “O Principezinho” (1974) de Stanley Donen, “Balbúrdia no Oeste” (1974) de Mel Brooks, “Desculpe, Onde Fica o Far West?” (1979) de Robert Aldrich e “O Casal Trapalhão” (1982) de Sidney Poitier.

Gene Wilder dedicou-se também à realização por quatro vezes: “As Aventuras do Irmão Mais Esperto de Sherlock Holmes” (1975), “O Maior Amante do Mundo” (1977), “A Mulher de Vermelho” (1984) e Lua de Mel com Fantasmas” (1986).

São sobretudo as comédias loucas de Mel Brooks, de grande sucesso entre o público até aos dias de hoje, que nos fazem recordar o talento de Gene Wilder como ator e comediante.