Morreu a atriz portuguesa Maria Eugénia Pinto do Amaral, que se celebrizou aos 17 anos como protagonista do filme “A Menina da Rádio” (1944), esta quinta-feira no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Tinha 89 anos.

Nascida em 1927, estreou-se no cinema com apenas 17 anos em 1944 no filme “A Menina da Rádio”, realizado por Arthur Duarte e com António Silva, Fernando Ribeiro e Maria Matos no elenco. Esta foi uma das comédias de Arthur Duarte que tiveram grande êxito comercial na década de 1940.

Maria Eugénia colaborou ainda em mais dois filmes de Arthur Duarte, O Hóspede do Quarto Treze” (1947) e “O Leão da Estrela” (1947), sendo que este último foi também uma das mais bem-sucedidas comédias portuguesas da época, tendo contracenado com António Silva e Milú.

A então jovem atriz chegou ainda a entrar em alguns filmes espanhóis, “Héroes del 95” (1947) de Raúl Alfonso, e “Quando os Anjos Dormem” (1947) e “Conflicto Inesperado” (1948), ambos de Ricardo Gascón.

Em “Quando os Anjos Dormem” Eugénia contracenou com o galã italiano Amedeo Nazzari, tendo este servido de intermediário de um convite para trabalhar com Vittorio De Sica, mas Maria Eugénia recusou.

Apesar de uma curta carreira no cinema, quatro anos e seis filmes, Maria Eugénia ficou sobretudo conhecida como a eterna “menina da rádio”, até aos dias de hoje.