Morreu este domingo (16 de julho) o realizador George A. Romero, o pai dos ‘mortos-vivos’ modernos e o grande mestre do cinema de terror. Romero faleceu aos 77 anos, vítima de cancro do pulmão.

Romero foi autor do incontornável filme, “A Noite dos Mortos Vivos” (1968), um filme independente, e de baixo orçamento, que se tornou num filme de culto e que elevou o nível dos filmes de Terror, ditando as regras para os filmes de zombies que se seguiram até hoje, inspirando outros realizadores como Wes Craven, John Carpenter Dario Argento. Estreou-se no cinema com esta obra chave do cinema, um filme de terror de série B, com um estilo realista e quase documental, com um preto e branco granulado e quase amador, dando-lhe uma maior credibilidade.

Depois do sucesso mundial que atingiu seguiram-se várias adaptações e uma série de filmes de zombies, como: “Zombie: A Maldição dos Mortos-Vivos” (1978), “O Dia dos Mortos” (1985), “Terra dos Mortos” (2005), “Diário dos Mortos” (2007) e “A Ilha dos Mortos” (2009).

Realizou ainda outros filmes de terror como “Os Cavaleiros da Lenda” (1981), “Atracção Diabólica” (1988), “A Face Oculta” (1993) e “O Rosto da Vingança” (2000).

O mestre Romero deixa assim um legado rico ao género de Terror e em especial ao sub-género dos ‘mortos vivos’, pois transformou os filmes de Terror e redesenhou novos comportamentos e aparências dos mortos-vivos.