O Sir Roger Moore morreu hoje aos 89 anos, na Suíça, após uma curta, mas corajosa, luta contra o cancro. Conhecido sobretudo pela sua interpretação do papel do agente secreto 007, James Bond, Moore participou em mais de 50 filmes.

Foi o terceiro ator a interpretar James Bond, depois do australiano George Lazenby e do escocês Sean Connery, tendo Moore participado em sete filmes, sendo até ao momento o ator a interpretar o agente 007 por mais tempo (12 anos). A sua carreira como James Bond começou em 1973, no filme “007 – Vive e Deixa Morrer”. Seguiram-se: “007 – O Homem da Pistola Dourada” (1974), “007 – Agente Irresistível” (1977), “007 – Aventura no Espaço” (1979), “007 – Missão Ultra-Secreta” (1981), “007 – Operação Tentáculo” (1983) e “007 – Alvo em Movimento” (1985).

Mas a sua carreira e fama começaram muito antes do 007. Nascido em Londres em 1927, Moore trabalhou como modelo e fez televisão em meados da década de 1940 e 1950. Assinou contrato com o estúdio Metro-Goldwin-Mayer e entrou em filmes como “A Última Vez Que Vi Paris” (1954), “O Ladrão do Rei” (1955) e “Diana de França” (1956). Moore foi construindo a sua carreira entre a TV britânica, com a série “O Santo” (entre 1962 e 1969 – emitida em mais de 80 países) que o tornou famoso mundialmente, e entre os filmes de Hollywood.

Para além da sua carreira, Moore ficou conhecido pelas suas obras de caridade, tendo sido escolhido como embaixador da boa vontade da Unicef.