MOTEL X 2021: os vencedores da edição

O NOSSO REINO” de Luís Costa é o grande vencedor das categorias de curtas vencendo os Prémios MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa / Méliès d’argent e Méliès d’argent Melhor Curta Europeia 2021

The FEAST“, de Lee Haven Jones, vence o Prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia / Méliès d’argent 2021

Carlos Conceição recebe Menção Especial por “Um Fio de Baba Escarlate“.

Estão escolhidos os vencedores das três secções de competição do MOTELX– Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa 2021.

O júri fez questão ainda de apontar duas Menções Especiais no ano em que a normalidade já quase se fez sentir com o público a garantir um festival repleto de sessões esgotadas, 25 no total.

A 15.ª edição do MOTELX termina hoje, dia 13.

Pela primeira vez, o Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa / Méliès d’argent, que se assume como o mais importante do festival já que tem como principal objectivo promover a produção de cinema de género em Portugal, e o Méliès d’argent Melhor Curta Europeia 2021, distinguem o mesmo filme: “O Nosso Reino”, de Luís Costa. A curta-metragem baseia-se na obra homónima do escritor português Valter Hugo Mãe. O maior prémio atribuído em Portugal para curtas-metragens e a distinção internacional foram decididos por um painel de jurados composto por Sónia Balacó, actriz, pelo produtor Josh Waller e Emily Gotto, vice-presidente de aquisições e co-produções globais da plataforma streaming Shudder. “Apesar da grande qualidade dos filmes em competição”, o júri acabou por decidir, nas deliberações finais, por apenas um vencedor salientando “a sua cinematografia etérea e a escrita e realização que revelam confiança e graciosidade, no que é uma viagem às sombras da infância e aos primeiros encontros com a morte.”

Na competição internacional, o júri atribuiu ainda uma Menção Especial a “The Thing That Ate The Birds“, de Sophie Mair, Dan Gitsham.

O vencedor do Prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia / Méliès d’argent 2021 foi hoje atribuído à película “The Feast” do realizador galês Lee Haven Jones. O júri composto pela actriz e realizadora Ana Moreira, a artista plástica Adriana Molder e o realizador Diego López-Fernández destacou que este é um “filme que nos prende desde o início através de uma imagem cativante, destacando-se o domínio do tempo pelo realizador, que constrói através da música uma composição envolvente e precisa”.

O júri decidiu atribuir também uma Menção Especial a “Um Fio de Baba Escarlate“, de Carlos Conceição, a única longa-metragem nacional em competição “pela sua aposta autoral na execução: filmada sem diálogos, em formato 4:3 e reconstruído o género slasher com base nas redes sociais”. Recorde a nossa crítica, por Hugo Gomes, aqui.

Bloody Oranges” de Jean-Christophe Meurisse foi o grande vencedor do Prémio do Público, nesta edição. Recorde a nossa crítica, por Wellington Almeida, aqui.

Bloody-Oranges-Cannes-2021

A 15.ª edição do MOTELX encerra hoje, dia 13 de Setembro, dia em que será possível ver ou rever os filmes vencedores deste ano assim como ter uma última oportunidade para conferir em tela alguns dos grandes destaques do festival como “Black Medusa“, de Ismaël e Youssef Chebbi, ou “The Sadness“, de Rob Jabbaz.

O Festival regressa  de 6 a 12 de Setembro de 2022.

Skip to content