Dominique-Grange-2022-2

“Não apaguem os nossos rastos! Dominique Grange, uma cantora de protesto”, o novo filme de Pedro Fidalgo, estreia hoje

Last updated:

Oito anos depois de “Mudar de Vida, José Mário Branco, Vida e Obra” (2014), o realizador português Pedro Fidalgo estreia “Não apaguem os nossos rastos! Dominique Grange, uma cantora de protesto”, um documentário sobre Dominique Grange, ativista e cantora de intervenção do Maio de 1968.

“Não apaguem os nossos rastos! Dominique Grange, uma cantora de protesto”, a sua segunda longa-metragem, é um filme militante, para “ver e ouvir com espírito livre”, que filme a História através da canção de protesto. Conta com a participação do consagrado autor de banda desenhada Tardi, que ilustra e dá voz ao filme. Filmado e produzido através de crowdfunding, a lista de contribuições inclui nomes tão importantes como o cineasta Jean-Luc Godard.

O filme “debruça-se também sobre as recentes lutas e protestos em França, uma vez que Dominique Grange define o seu trabalho como um ‘compromisso perpétuo’. E com estas imagens atuais, entrecruzam e misturam-se as imagens de arquivo e canções de Dominique Grange, com desenhos de Tardi.”, lê-se no comunicado.

Dominique-Grange-2022-3

“O slogan de 1968 ‘Isto é só o início, continuemos a luta!’ reverbera tanto nela como em todos nós. E foi neste estado de espírito que Pedro Fidalgo filmou e acompanhou o movimento social em França dos últimos anos. O filme realça as lutas do passado e recheia-as com o real do presente.”

“As canções de Dominique Grange acarretam em si marcas do Maio de 68. Exprimem nos dias de hoje a mesma vontade de resistência a todas as formas de opressão.”

O primeiro filme de Pedro Fidalgo, “Mudar de Vida, José Mário Branco, Vida e Obra” (2014), co-realizado com Nelson Guerreiro, levou quase uma década a estar concluído. Teve a sua antestreia nacional a 25 de abril, no IndieLisboa 2014 e estreou durante o Desobedoc – Mostra de Cinema Insubmisso, no Cinema Batalha, no Porto.

Para assinalar a estreia, estão planeadas duas sessões especiais, nos dias 12 e 13 de maio, com a presença do realizador e convidados, seguidos de debates, no Cinema City Alvalade, em Lisboa.

12 de Maio – quinta-feira – 19H20 – CINEMA CITY ALVALADE
Sessão especial com debate: Filmar a canção de protesto.
Com a presença do realizador Pedro Fidalgo e de Nelson Guerreiro, co-realizador de Mudar De Vida, José Mário Branco, Vida E Obra (2014).

13 de Maio – sexta-feira – 19H20 – CINEMA CITY ALVALADE
Sessão especial com debate: A influência do Maio de 68 na canção de protesto em Portugal.
Com a presença do realizador Pedro Fidalgo e com Hugo Castro e Ricardo Andrade, membros do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança e do Observatório da Canção de Protesto.

Dominique-Grange-2022-1

Skip to content