A Warner Bros. revelou, na passada sexta-feira, que o próximo filme do realizador Christopher Nolan irá chegar às salas de cinema no verão de 2020, mais precisamente a 17 de julho, e que o projeto ainda secreto estará disponível em versão IMAX.

A verdade é que ainda ninguém faz ideia que tipo de filme estará Nolan a germinar, mas o facto é que o mês de julho tem sido sinónimo de sucesso para o realizador britânico. Dois dos três filmes de O Cavaleiro das Trevas (2005-2012) e A Origem (2010) foram lançados durante o mês de julho.

Após o sucesso de Dunquerque (2017), Nolan tem trabalho noutro tipo de projetos paralelos, como, por exemplo, no restauro do filme 2001: Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick (1968), em 70 mm – o equivalente a uma resolução 16K. É de mencionar que o britânico foi um dos muitos cineastas que tentou ajudar a salvar a plataforma FilmStrucko serviço de streaming que foi desativado no final do ano passado.

A confirmação do IMAX vem realçar a variedade de formatos cinematográficos na carreira de Christopher Nolan. Na edição do ano passado do Festival de Cinema de Cannes, o cineasta afirmou queos filmes que são feitos de maneira analógica devem ser apresentados de maneira analógica sempre que possível. Este acrescenta ainda que “o filme ainda é a melhor analogia para a maneira como o olho vê.” O realizador conclui dizendo que o cinema é a ferramenta mais imersiva e emocionante que conhece e que permite “atrair o público para a história.”