Filme em conversa: Batman: Under the Red Hood
Género: Animação/Acção
Ano de estreia: 2010
Realizador: Brandon Vietti
Elenco: Bruce Greenwood, Neil Patrick Harris, Jason Isaacs, Jensen Ackles, John DiMaggio
País: Estados Unidos da América

Como mencionado na edição anterior, recentemente decidi rever alguns dos filmes baseados nas personagens da DC Comics para satisfazer um bocado a minha sede por bons e/ou interessantes filmes de super-heróis da B.D.

Estas edições, serão portanto dedicadas a filmes onde os protagonistas são gente como Super-Homem, Batman, Wonder Woman e os restantes membros da Liga da Justiça (daí o sub-título da rubrica).

O capítulo de hoje desta rubrica vai então descer até ao submundo dos filmes de animação da Warner Bros. lançados directamente em DVD/Blue-Ray, analisando então “Batman: Under the Red Hood

Batman Under the Red Hood_1

A vantagem destes filmes de animação produzidos pela Warner é que, sendo feitos principalmente para os fãs de Banda Desenhada, acabam por investir muito pouco em histórias de origem ou em contexto para a acção decorrida durante o filme. Dito isto, o filme começa a meio de uma cena de acção onde Batman – interpretado por Bruce Greenwood – está a acelerar numa mota pelo meio de uma cidade do Leste Europeu enquanto que algures num armazém abandonado dessa mesma cidade o Joker  – o grande John DiMaggio – está a espancar brutalmente o jovem Robin – neste caso Jason Todd, o segundo “ajudante” do Batman – com um pé de cabra. Quando Batman está quase a chegar ao local para salvar o seu ajudante Joker foge do armazém, mas não sem antes deixar uma bomba em contagem decrescente, fazendo com que Batman acabe por ver Robin morrer mesmo à sua frente sem poder fazer nada para o ajudar. Neste momento saltamos cinco anos no tempo, Batman tornou-se ainda mais solitário e um novo herói, Red Hood (Jason Ackles) com métodos muito mais radicais e com tons mesmo vilanescos aparece na sua cidade e começa a matar todos os criminosos que se opõem ás suas novas regras. A guerra entre Batman e Red Hood ganha então forma e muitos demónios do passado voltam para atormentar o eterno cavaleiro das trevas de Gotham.

Para um filme animado de super-heróis, abrir logo com a morte gráfica de um menor é um daqueles riscos que tem tudo para não correr bem, mas...

Para um filme animado de super-heróis, abrir logo com a morte gráfica de um menor é um daqueles riscos que tem tudo para não correr bem, mas…

“Under the Red Hood” não tem problemas nenhuns em mostrar-nos o lado mais violento e negro das consequências de ser o Batman e apenas ganha com isso. mas sempre sem quebrar as regras que fazem da personagem aquilo que ela sempre foi e deve ser: Um símbolo de justiça sóbria e imparcial. – aprende a lição, Snyder! –  O filme também apresenta uma animação interessante, com um excelente número de detalhes seja nos movimentos característicos de personagens como o Batman ou o Joker, bem como enquadramentos cheios de pequenos pormenores de uma cidade que pulsa com vida. Existem também dois ou três momentos de acção muito bem realizados e que são raros mesmo em filmes de maior orçamento – principalmente a primeira perseguição entre Red Hood e Batman – um argumento bem escrito, que apesar de previsível aqui e ali, sabe-se agarrar aos seus pontos fortes – como por exemplo, a forma como as personagens lidam com esses momentos previsíveis – e que apresenta um terceiro acto que compensa muito bem cada pingo de interesse investido pelo espectador ao longo dos setenta e cinco minutos de duração do filme, tornando-o bastante interessante tanto para quem está familiarizado com o material original como para quem vê o filme pela primeira vez.

John DiMaggio - a voz de Bender em “Futurama” e Jake em “Adventure Time” aparece aqui como forte concorrência a Mark Hamill para o lugar de “melhor Joker”.

John DiMaggio – a voz de Bender em “Futurama” e Jake em “Adventure Time” aparece aqui como forte concorrência a Mark Hamill para o lugar de “melhor Joker”.

Até à data, “Batman: Under the Red Hood” é um dos melhores filmes de animação que a WB/DC já lançou, perdendo apenas para “The Dark Knight Returns” – mais sobre este filme em breve – e comparado também tanto por fãs como críticos a outros filmes como “The Dark Knight” ou o peculiar “Batman Returns” em termos de tom e qualidade. Se quiserem ver uma versão mais fiel ao Batman original do que aquele interpretado por Christian Bale, este é o que eu recomendo, ou mesmo se quiserem um pouco de contexto    em relação ao Batman interpretado por Ben Affleck e gostam do arquétipo do herói atormentado, este filme é o ponto ideal para começar.