Depois do fraco “Cônsul de Bordéus” estreia outro filme português de época e sobre uma personalidade com grande relevo histórico – o general sem medo, Humberto Delgado. O realizador Bruno de Almeida, conhecido pelos filmes “A Dívida” (1993) e “The Lovebirds” (2007), cria com “Operação Outono” o seu primeiro filme totalmente português. Bruno adaptou ao cinema o livro “Humberto Delgado, Biografia do General Sem Medo”, escrito pelo neto do general, Frederico Delgado Rosa. Baseando-se em factos verídicos, recria os últimos dia de vida do general, todo o aparato criado pela PIDE para assassinar Humberto Delgado e o processo de tribunal dos criminosos. O nome do filme, “Operação Outono”, tem origem no nome dado à operação levada a cabo pela PIDE.

Este é, portanto, um filme bastante interessante, pois nunca o cinema tinha contado a história do assassinato de Humberto Delgado. Nunca ninguém viu todo este detalhe recriado sobre uma operação deste relevo. Delgado foi um dos maiores símbolos de liberdade durante o Estado Novo, pois foi um dos poucos homens a tentar derrubar o regime através das eleições de 1958, que viria a perder de forma fraudulenta. Ficou célebre pela frase “Obviamente demito-o!” e obteve o apoio da maioria do povo. Foi sem dúvida um período curto, onde havia alguma esperança na mudança do regime. Mas o filme não mostra nada disto, nem aprofunda muito a personagem de Delgado em termos pessoais. É uma personagem que aparece pouco e só na primeira metade do filme, até ao momento da sua morte. O filme foca-se nas personagens criminosas, a PIDE. O filme assume-se como um thriller político e acaba por ser uma forte crítica à justiça portuguesa, pela forma como, escandalosamente, deturpa os factos e iliba os criminosos. Ao vermos este filme ficamos indignados com a resolução do julgamento. Pois os juízes, por questões políticas, inocentam a figura de Salazar. Um dos culpados pela morte do general vive ainda no Sul de África. O Portugal dos anos 70 não era afinal muito diferente do Portugal de hoje, em termos de justiça. A ação passa-se em vários países para além de Portugal, como Espanha, França, Marrocos e Argélia e no tempo vai desde 1965 (o ano da morte de Delgado) até 27 de junho de 1981 (fim do julgamento).

O realizador conseguiu um bom argumento, de bons diálogos, que agarra de imediato o espectador. Consegue uma boa fotografia, recriando a estética dos anos 60 e 70, usando muito grão. Usa ainda algum material de arquivo sobre o 25 de abril, concebendo talvez a cena mais emotiva do filme ao som da música “E Depois do Adeus”.

O elenco é grande e dominado principalmente por homens. Todo ele obtém excelentes interpretações, com especial destaque para Nuno Lopes, que torna a revelar-se um dos melhores atores da sua geração, assim como Diogo Dória no papel de Mário de Carvalho (o falso amigo de Delgado, contratado pela PIDE). O general é interpretado pelo ator americano John Ventimiglia (conhecido pela série “Os Sopranos”) e obtém uma aceitável parecença com o general. Já os seus diálogos foram o pior do filme, pois foram todos dobrados para português e o som não está, de todo, síncrono com os lábios dele. Muito mal conseguida essa parte do som. Que se engane quem julga que não vai sair da sala de cinema impressionado com este filme. Já para não falar das imagens do cadáver e a cena da morte do general e da sua secretaria brasileira, que podem chocar os mais sensíveis.

O cinema português continua em 2012 a dar provas do seu valor e qualidade, mais uma vez recorrendo à história de Portugal. “Operação Outono” é um filme muito bom que nos mostra um horrendo crime que os portugueses naõ podem esquecer, pelo que tem de ser visto por todos. Temos que conhecer a história do “General Sem Medo”!

Realização: Bruno de Almeida

Argumento: Bruno de Almeida, Frederico Delgado Rosa, John Frey

Elenco: John Ventimiglia, Nuno Lopes, Marcello Urgeghe, Carlos Santos, Diogo Dória, Júlio Cardoso, José Nascimento, Pedro Efe, Ana Padrão, Adriano Carvalho, João D’Ávila, Carlos Paulo, Cleia Almeida, Carla Chambel, Camané

Portugal/2012 – Thriller

Sinopse: O filme inspira-se em factos verídicos, alguns dos quais foram recentemente descobertos por Frederico Delgado Rosa, biógrafo e neto do General Humberto Delgado, e no seu livro Humberto Delgado, biografia do general sem Medo. A acção decorre entre Portugal, Espanha, Algéria, Marrocos, França e Itália, no período entre 1964 e 1981, desde a preparação da operação levada a cabo pela PIDE, e que tinham por nome de código: Operação Outono, até ao caso do Tribunal, já depois do 25 de Abril.

«Operação Outono» – Temos que conhecer a história do “General Sem Medo”
4.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos