Os críticos do Ípsilon (Vasco Câmara, Jorge Mourinha e Luís Miguel Oliveira) revelaram hoje a lista dos melhores filmes de 2017. Segundo as escolhas dos críticos de cinema do Ípsilon o “angustiante e vibrante filme português”, “A Fábrica de Nada” de Pedro Pinho, é o melhor filme do ano. “Grande filme instável, entre o ensaio, o musical e a fábula, filmou a luta dos operários contra o fecho da sua fábrica. E montou debate sobre o lugar do trabalho e o património ideológico do século XX.”

Em segundo lugar ficou “A Cidade Perdida de Z” de James Gray e em terceiro lugar “Paterson” de Jim Jarmusch.

  1. A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho
  2. A Cidade Perdida de Z, de James Gray
  3. Paterson, de Jim Jarmusch
  4. Lucky, de John Carroll Lynch
  5. Aquarius, de Kleber Mendonça Filho
  6. Good Time, de Josh & Benny Safdie
  7. O Dia Seguinte, de Hong Sang-soo
  8. 120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo
  9. O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismäki
  10. Stefan Zweig – Adeus Europa, de Maria Schrader
  11. Uma Viagem pelo Cinema Francês por Bertrand Tavernier, de Bertrand Tavernier