Desde a cena pós-créditos de “Iron Man” (no já relativamente afastado ano de 2008) que todos aqueles que partilham o gosto pela Banda-Desenhada ansiavam por este dia; o dia em que algumas das personagens mais famosas da Marvel se juntam no mesmo filme para fazer uma extravagancia cinematográfica. A cada filme baseado nas BD’s da Marvel novas peças eram dadas acerca do que aí vinha. As personagens ganharam corpo e alma, individualmente, filme a filme, até que já em 2011 “Captain America: The First Avenger” deu o mote: agora era de vez, o próximo filme seria mesmo o “The Avengers”. A fantasia de todos nós que  crescemos a ler as revistas aos “quadradinhos” estava anunciada e as expectativas eram enormes! (tal como o medo de um falhanço total…).

Em primeiro lugar há que começar pelo realizador; Joss Whedon (“Buffy: A caçadora de Vampiros”; “Firefly”) é o homem no qual todos os “Nerds” confiam, e como tal foi para todos um alivio quando ele foi confirmado como o argumentista e realizador do projecto. Whedon sempre foi um fãn assumido das revistas da Marvel, tendo inclusivo trabalhado com  muito sucesso em alguns dos seus arcos narrativos. Se isso não acalma um fã, nada mais o faz.

Como realizador, Whedon sempre mostrou algumas fragilidades no aspecto visual, faltando um pouco a acuidade que lhe permitiria uma melhor composição de planos ou movimentos de câmara, contudo os seus pontos fortes (diálogos, criação de personagens, sensibilidade narrativa) permitiram-lhe pegar num filme que tinha muito para falhar e transforma-lho em algo grandioso, onde todas as oito personagens principais têm o seu momento para brilhar e nenhuma é a altura alguma posta de parte, nem mesmo os menos conhecidos Hawkeye e Black Widow. Whedon conseguiu fazer um malabarismo fantástico e isso permite a qualquer espectador criar facilmente empatia com as personagens, saber o que se está a passar a qualquer momento do filme, acompanhar o crescimento da dinâmica dentro daquela equipa de super-heróis e ainda levar como bónus boas doses de humor e combates e batalhas de encher o olho.

Quanto à história do filme em si, essa é bastante básica, afinal de contas, com todos os elementos colocados no filme, o tempo para uma maior densidade narrativa é quase inexistente, portanto ficamos com uma linha narrativa bastante simples que se centra numa recém formada (e disfuncional) equipa de super-heróis que tem que parar a todo o custo que o deus nórdico Loki conquiste a terra com o seu exército extra-terrestre. Metade do filme se foca na construção de uma dinâmica de equipa e a outra metade centra-se em colocar essa dinâmica em prática e simplesmente é um desfilar de lutas atrás e lutas capaz de encher de satisfação aqueles que querem ver Thor, Hulk e companhia a desancar em centenas de soldados extra-terrestres. Mas isso não impede contudo que os tempos narrativos estejam lá; em “The Avengers” praticamente não há “tempos mortos” e a cada momento as personagens estão a desenvolver acções que por sua vez fazem avançar a trama. Tudo com o seu tempo; tudo sempre oportuno. Tudo isso contribuindo para que nos agarremos a cada minuto de filme com interesse e curiosidade.  Todos os segundos de filme são aproveitados e para fazer com que as duas horas e meia de filme pareçam o mais épicas possível. Claro que não é propriamente cinema-arte, mas no que toca a entretenimento e diversão, este filme tem tudo o que se pode querer, e ainda mais qualquer coisa! Joss Whedon claramente sabia o que a sua audiência queria ver, e esse é o segredo do sucesso num filme como estes.

No geral “The Avengers” é como já referi um regalo para os fãs que claramente ficarão com a sensação de que o filme foi feito tendo em conta quase todos os seus desejos mas para os não-fãs de Banda Desenhada ou de filmes de Super-Heróis fica para registo as diversas cenas pautadas pelo humor capaz de fazer qualquer um rir e ainda pela forma como este filme faz agora parte da história do cinema como sendo o primeiro filme onde as narrativas de 5 outros filmes convergem com sucesso e criando assim um marco no que toca a Sagas/franchises cinematográficos; saga essa por sinal que não irá ter um final tão cedo, coisa que nós, nerds orgulhosos e convictos, agradecemos profundamente.

Realização: Joss Whedon

Argumento: Joss Whedon

Elenco: Amanda Righetti, Chris Evans, Chris Hemsworth, Clark Gregg, Cobie Smulders, Gwyneth Paltrow, Jeremy Renner, Lou Ferrigno, Mark Ruffalo, Paul Bettany, Robert Downey Jr., Samuel L. Jackson, Scarlett Johansson, Stellan Skarsgard, Tom Hiddleston

EUA/2012 – Ação/Aventura

Sinopse: No momento em que aparece um inesperado inimigo que ameaça a segurança global, Nick Fury, o Diretor da agência internacional que assegura a paz mundial conhecida como S.H.I.E.L.D, vê-se na necessidade de recrutar uma equipa capaz de salvar o planeta do desastre iminente. Por todo o globo, uma audaz força de recrutamento é iniciada.

«Os Vingadores» – E tudo acaba em grande!
4.5Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos