"E Agora? Lembra-me" (2013)_4

Os membros da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas (Academia Portuguesa de Cinema) escolheram o filme “E Agora? Lembra-me” de Joaquim Pinto para representar Portugal como candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro da Academia de Cinema Americana.

O documentário autobiográfico que conta a historia de Joaquim Pinto, um homem que convive com o VIH e o VHC há quase 20 anos. “E Agora? Lembra-me” é o caderno de apontamentos de um ano de ensaios clínicos com drogas tóxicas e ainda não aprovadas para o VHC. Uma reflexão aberta e eclética sobre o tempo e a memória, as epidemias e a globalização, a sobrevivência para além do expectável, a dissensão e o amor absoluto. Num vai e vem entre o presente e o passado, o filme é também um tributo aos amigos que partiram e aos que permanecem.

Premiado internacionalmente, “E Agora? Lembra-me” venceu em grandes festivais como, o Prémio FIPRESCI, o Prémio Especial do Juri (o segundo prémio mais importante do festival) e o Prémio do Juri Jovem no Festival de Locarno 2013, venceu o prémio máximo da competição internacional do FIDBA – Festival Internacional de Cinema Documental de Buenos Aires, na Argentina, venceu três prémios na 11ª edição do DocLisboa, entre eles o Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Longa-metragem (o galardão principal).

Em 2014 o candidato português da Academia Portuguesa de Cinema foi “Linhas de Wellington”, de Valéria Sarmiento. Quando a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas receber todas as submissões de cada país, para esta categoria, a Academia irá criar primeiro uma pré-lista de nomeados e posteriormente uma com os cinco nomeados oficiais (a 2 de fevereiro de 2015). O vencedor será anunciado na cerimónia da 87ª edição dos Óscares, a realizar-se a 22 de fevereiro de 2015.