A poucos dias da 90.ª edição dos Óscares (que se realizam a 4 de março de 2018), o Cinema 7.ª Arte, em gesto de homenagem e comemoração dos 90 anos de edições dos Óscares atribuídos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas norte-americana, pretende assinalar este aniversário com uma lista dos nove melhores filmes que receberam o Óscar de Melhor Filme.

Fundada em 1927, a Academia das Artes e Ciências Cinematográficas, presidida por Douglas Fairbanks, realizou a sua primeira cerimónia de atribuição dos prémios de mérito a 16 de maio de 1929, no Hollywood Roosevelt Hotel, em Los Angeles. A cerimónia contou com cerca de 270 convidados e durou cerca de 15 minutos, sendo que os vencedores tinham já sido avisados três meses antes, assim como a imprensa.

Esta foi a única cerimónia dos Óscares a não ser transmitida tanto na rádio como na televisão. A primeira edição premiou os filmes mais proeminentes de 1927 e 1928, tendo sido entregues quinze estatuetas douradas, oficialmente denominadas de Academy Award of Merit. “Wings” (1927), um drama de guerra mudo realizado por William A. Wellman, foi o primeiro a vencer a categoria de Melhor Filme.

Hoje em dia as regras e a cerimónia mudaram bastante. Existem 24 categorias e desde 1941 que a prática do envelope selado e da surpresa dos vencedores é mantida. De 1929 a 2018, foram 90 edições que premiaram 90 filmes com o Óscar de Melhor Filme. São 90 anos de história do cinema e que o Cinema 7.ª Arte tenta resumir em apenas 9 filmes. Esta lista (que é apenas isso mesmo, uma lista), pensada por cinco membros do site, foi realizada através de um processo de votação que cada membro atribuiu aos filmes.

As escolhas dos membros da Academia em premiar um filme são muitas vezes escolhas políticas e por isso nem sempre são premiados realmente os melhores filmes, onde a criatividade e sensibilidade cinematográfica se destacam. Os vencedores do Óscar de Melhor Filme reúnem algumas das melhoras obras da história do cinema, como “E Tudo o Vento Levou” (1939), “Rebecca” (1940), “Casablanca” (1942), “Eva” (1950), “Lawrence da Arábia” (1962), “Imperdoável” (1992), “A Lista de Schindler” (1993) e “Este Pais Não é para Velhos” (2007). Mas também obras inesperadas como “Amor Sem Barreiras” (1961), “Rocky” (1976), “Kramer Contra Kramer” (1979), “Miss Daisy” (1989), “O Silêncio dos Inocentes” (1991), “O Senhor dos Anéis – O Regresso do Rei” (2003) e “Birdman” (2014). 

É do conhecimento geral que os filmes que ganharam mais Óscares (11 prémios) são “Ben-Hur” (1959), “Titanic” (1997) e “O Senhor dos Anéis: O Regresso do Rei” (2003), e que “Eva” (1950), “Titanic” (1997)  e “La La Land” (2016) são os filmes que arrecadaram mais nomeações (14 nomeações cada).

A lista dos nove filmes vencedores do Óscar de Melhor Filme é liderada por uma das obras mais amadas pela crítica e pelo público dos clássicos de Hollywood, “Casablanca” (1942), de Michael Curtiz. “Casablanca” é um dos grandes clássicos dos estúdios da Warner Bros., que ao som de “As Time Goes By”, Ingrid Bergman (Ilsa) e Humphrey Bogart (Rick), seduzem o espectador neste complexo melodrama que decorre no norte de África, durante a 2.ª Guerra Mundial.

Em segundo lugar ficou “O Vale Era Verde” (1941), de John Ford, estreado um ano antes de “Casablanca” e um ano depois de um dos mais sublimes retratos sobre a grande depressão, “As Vinhas da Ira” (1940). Em “O Vale Era Verde”, Ford que era conhecido pelos westerns, filma a vida de uma família irlandesa que vive das minas, com um olhar nostálgico e sentimental, que o tornam num dos seus mais belos filmes de sempre.

Em terceiro lugar encontra-se um dos maiores épicos de todos os tempos, “Lawrence da Arábia” (1962), de David Lean, um filme ambicioso sobre a vida de uma lenda, o oficial britânico T. E. Lawrence (o papel da vida de Peter O’Toole), com uma espetacular cinematografia em 70mm. Lean realiza um dos mais fascinantes filmes de guerra.

Seguem-se, em quarto lugar, “O Padrinho” (1972), a obra-prima de Francis Ford Coppola que imortalizou Marlon Brando como Don Corleone.  Em quinto lugar, “O Cowboy da Meia-Noite” (1969), de John Schlesinger, em sexto, “Há Lodo no Cais” (1954), de Elia Kazan, em sétimo “O Apartamento” (1960), de Billy Wilder, uma comédia que faz uma dura crítica social à sociedade americana. Foi o último filme a preto e branco a vencer o Óscar de Melhor Filme, em 1961. Em oitavo lugar encontra-se um retrato fiel e duro sobre a 1.ª Guerra Mundial, “A Oeste Nada de Novo” (1930), de Lewis Milestone; e em nono encontra-se “Voando Sobre um Ninho de Cucos” (1975), de Milos Forman. Este foi o primeiro filme a vencer os cinco prémios principais.

Curiosamente esta lista não contem nenhuma obra do século XXI, tendo as escolhas dos nossos membros recaído sobretudo nos grandes clássicos. O filme mais recente data de 1975 (“Voando Sobre um Ninho de Cucos”) e o mais antigo data dos anos 1930 (“A Oeste Nada de Novo”).

A década de 1960 é a mais representativa de todas, ao incluir três filmes. Destas nove obras, apenas uma, “O Padrinho” (1972), não recebeu o Óscar de Melhor Realizador. “Há Lodo no Cais” (1954) é de todos o que mais prémios conquistou, oito no total, contra os dois Óscares de “A Oeste Nada de Novo” (1930).

1.º Casablanca/ Casablanca (1942) – oito nomeações e vencedor de três Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento.

2.º O Vale Era Verde/ How Green Was My Valley (1941) – Dez nomeações e vencedor de cinco Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator Secundário, Melhor Fotografia e Melhor Direcção de Arte.

3.º Lawrence da Arábia / Lawrence of Arabia (1962) – Dez nomeações e vencedor de sete Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Som, Melhor Edição e Melhor Banda Sonora.

4.º O Padrinho / The Godfather (1972) – 11 nomeações e vencedor de três Óscares: Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Argumento Adaptado.

5.º O Cowboy da Meia-Noite/ Midnight Cowboy (1969) – Sete nomeações e vencedor de três Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado.

6.º Há Lodo no Cais / On The Waterfront (1954) – 12 nomeações e vencedor de oito Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Atriz Secundária, Melhor Argumento, Melhor Fotografia, Melhor Direcção de Arte e Melhor Edição.

7.º O Apartamento / The Apartment (1960) – Dez nomeações e vencedor de cinco Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento, Melhor Direcção de Arte e Melhor Edição.

8.º A Oeste Nada de Novo / All Quiet on the Western Front (1930) – 4 Quatro nomeações e vencedor de dois Óscares: Melhor Filme e Melhor Realizador.

9.º Voando Sobre um Ninho de Cucos / One Flew Over the Cuckoos Nest (1975) – Nove nomeações e vencedor de 5«cinco Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Atriz e Melhor Argumento Adaptado.