A pouco mais de uma semana da grande noite de Hollywood, a cerimónia de entrega dos prémios da Academia norte-americana de Artes e Ciências Cinematográficas, o Cinema 7ª Arte faz as suas previsões para os possíveis vencedores da 90ª edição dos Óscares, que se realiza a 4 de março. Consideramos que “Três Cartazes à Beira da Estrada” irá vencer três Óscares (Melhor Filme, Melhor Atriz e Melhor Ator Secundário). Já “A Forma da Água”, com 13 nomeações, irá vencer apenas em três categorias (Melhor Realizador e Melhor Banda Sonora e Melhor Guarda-Roupa).

Consideramos que os seguintes filmes irão conquistar dois Óscares: “A Hora Mais Negra” (Melhor Ator e Melhor Maquilhagem), “Dunkirk” (Melhor Mistura de Som e Melhor Edição de Som), “Coco” (Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original) e “Blade Runner 2049” (Melhor Fotografia e Melhor Design de Produção). Enquanto que estes vencem apenas uma categoria: “Chama-me Pelo Teu Nome” (Melhor Argumento Adaptado), “Get Out” (Melhor Argumento Original), “I, Tonya” (Melhor Atriz Secundária) e “O Quadrado” (Melhor Filme Estrangeiro). Os filmes “Lady Bird”, “The Post”“Linha Fantasma” não devem receber qualquer Óscar.

A categoria de Melhor Filme é por norma a mais difícil de prever o vencedor. Veja-se o exemplo do ano passado, em que “La La Land” era o favorito a vencer a categoria, tendo sido derrotado por “Moonlight”, para surpresa de todos. Este ano é particularmente difícil prever o vencedor, tendo em conta que pelo menos cinco (“Dunkirk”, “A Forma da Água”, “Get Out”, “Lady Bird” e “Três Cartazes à Beira da Estrada”) dos nove nomeados a Melhor Filme têm fortes probabilidades de vencer. O filme do mexicano Guillermo del Toro, “A Forma da Água”, que lidera com 13 nomeações aos Óscares, é visto como o favorito pela quantidade de nomeações que arrecadou, por ter vencido o Leão de Ouro em Veneza e por ter ganho o prémio de Melhor Filme dos Producers Guild Awards (Sindicato dos Produtores dos EUA). No entanto, esta história de amor entre uma rapariga muda e um monstro marinho não parece que vá ser suficiente para conquistar os membros da Academia. “Dunkirk” é uma superprodução de Christopher Nolan com a 2ª Guerra Mundial como pano de fundo, que pode seduzir os membros da Academia pela sua técnica e ambição. “Get Out” e “Lady Bird” são duas produções do cinema americano independente de baixo orçamento que tem brilhado desde as suas estreias. Tem sido as grandes surpresas, tendo conquistado inúmeros prémios da crítica. Por fim, “Três Cartazes à Beira da Estrada”, com sete nomeações, é a nossa aposta para vencer a categoria de Melhor Filme. Venceu a mesma categoria, em Drama, nos Globos de Ouro e triunfou nos BAFTA. É de todos o filme mais político, pois expõe, através das várias personagens do filme, a realidade cruel e chocante das feridas, ainda por sarar, da atual sociedade americana. Os membros da Academia não vão ficar indiferentes a este filme de vingança, de Martin McDonagh. Ainda assim, achamos que “Chama-me Pelo Teu Nome” seria um merecido vencedor desta categoria, mas que dificilmente terá qualquer hipótese para com estes cinco mencionados em cima.

Na categoria de Melhor Realizador, Paul Thomas Anderson, por “Linha Fantasma”, é o único dos cinco que já esteve nomeado para esta categoria, tendo sido nomeado pela realização de “Haverá Sangue” (2007). Os restantes são estreantes nesta categoria dos Óscares. Achamos que o favorito é Guillermo del Toro, por “A Forma da Água”, tendo em conta que venceu o Globo de Ouro de Melhor Realizador e o prémio de Melhor Realizador dos Directors Guild of America. Greta Gerwig (a quinta mulher a ser nomeada para o Óscar de Melhor Realização), por “Lady Bird”, é a segunda favorita a vencer esta categoria. Esta é a segunda longa-metragem de Greta que tem sido muito bem recebida pela crítica. Hollywood vive hoje momentos conturbados de manifestações feministas que denunciam os casos de assédio sexual, como o #MeToo e o Time’s Up, pelo que Greta Gerwig pode muito bem ser a porta voz destes movimentos. A Academia pode perfeitamente ter isso em conta e premiar a jovem realizadora pelo momento histórico e político que se vive nesta indústria. No entanto, premiar a realizadora pelo seu género (feminino) não tem cabimento nenhum, e seria injusto perante os outros nomeados. Esperemos que a Academia seja imparcial perante estes movimentos e se achar que lhe deve atribuir o Óscar de Melhor Realizador que seja pela qualidade do seu trabalho enquanto realizadora e não por ser mulher. É também preocupante que em 89 anos de história dos Óscares apenas uma mulher tenha recebido este Óscar, Kathryn Bigelow, que fez história em 2010.

A categoria de Melhor Ator é, este ano, mais uma das difíceis de prever o vencedor, dado que a Academia nomeou cinco excelentes interpretações. A nossa aposta vai para Gary Oldman, em “A Hora Mais Negra”, que consegue a segunda nomeação, depois de “A Toupeira” (2011). Venceu o prémio de Melhor Ator dos Screen Actors Guild Awards e o BAFTA (na mesma categoria). Muito provavelmente é desta que a Academia vai reconhecer o talento de Gary Oldman. No entanto, há ainda os veteranos: Daniel Day-Lewis, em “Linha Fantasma” (a sua sexta nomeação a esta categoria, tendo vencido três vezes), a última vez que é nomeado a um Óscar, dado que não irá fazer mais filmes, pelo que a Academia pode ainda prestar-lhe um último tributo; e Denzel Washington, em “Roman J. Israel, Esq.” (a sua sexta nomeação a esta categoria, tendo vencido uma vez em “Dia de Treino” (2001)). Para fechar esta categoria temos os estreantes: Timothée Chalamet, em “Chama-me Pelo Teu Nome” (torna-se aos 22 anos no terceiro mais novo na corrida a Melhor Ator e é visto como um forte candidato ao Óscar, demonstrando grande sensibilidade); e Daniel Kaluuya, em “Get Out”.

Quanto à categoria de Melhor Atriz, a nossa aposta tem fortes probabilidades de estar correcta. A favorita a vencer é Frances McDormand, em “Três Cartazes à Beira da Estrada”. Frances consegue a sua segunda nomeação a esta categoria, tendo vencido pela sua interpretação em “Fargo” (1996). Venceu nos Screen Actors Guild Awards, nos Globos de Ouro e nos BAFTA, pelo que a Academia deverá atribuir-lhe o Óscar. Seguem-se Sally Hawkins em “A Forma da Água” (primeira nomeação nesta categoria), Margot Robbie em “I, Tonya” (primeira nomeação), Saoirse Ronan em “Lady Bird” (segunda nomeação nesta categoria) e Meryl Streep em “The Post”. Meryl Streep volta a fazer história, conseguindo a sua vigésima primeira nomeação aos Óscares, batendo um novo recorde.

Na categoria de Melhor Filme de Animação, apostamos em “Coco”, da Pixar, e na de Melhor Filme Estrangeiro apostamos em “O Quadrado”, da Suécia, o vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes 2017. Na categoria de Melhor Documentário é muito provável que o novo filme de Agnès Varda, “Olhares, Lugares”, seja o vencedor. As três previsões garantem forte probabilidade de estar correctas.

Nas categorias mais técnicas, achamos que “Dunkirk”, “Blade Runner 2049” e “Planeta dos Macacos: A Guerra” irão dominar, juntamente com “A Forma da Água”.

Estas são as nossas apostas para 21 categorias, em 24. A cerimónia da 90ª edição dos Óscares, apresentada novamente pelo comediante Jimmy Kimmel, realiza-se a 4 de março de 2018, no Dolby Theatre, com transmissão em directo para mais de 225 países.

Depois dos Óscares

Laranja – Previsão
Verde – Vencedor Correcto
Vermelho – Previsão Errada

Em 21 categorias erramos em 6: Melhor Filme, Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Documentário, Melhor Design de Produção, Melhor Guarda-Roupa e Melhores Efeitos Especiais.

Melhor Filme
Call Me By Your Name
Darkest Hour
Dunkirk
Get Out
Lady Bird
Phantom Thread
The Post
The Shape of Water
Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Melhor Realizador
Christopher Nolan, por Dunkirk
Jordan Peele, por Get Out
Greta Gerwig, por Lady Bird
Paul Thomas Anderson, por Phantom Thread
Guillermo del Toro, por The Shape of Water
Melhor Ator
Timothée Chalamet, em Call Me by Your Name
Daniel Day-Lewis, em Phantom Thread
Daniel Kaluuya, em Get Out
Gary Oldman, em Darkest Hour
Denzel Washington, em Roman J. Israel, Esq.
Melhor Atriz
Sally Hawkins, em The Shape of Water
Frances McDormand, em Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Margot Robbie, em I, Tonya
Saoirse Ronan, em Lady Bird
Meryl Streep, em The Post
Melhor Ator Secundário
Willem Dafoe, em The Florida Project
Woody Harrelson, em Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Richard Jenkins, em The Shape of Water
Christopher Plummer, em All the Money in the World
Sam Rockwell, em Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Melhor Atriz Secundária
Mary J. Blige, em Mudbound
Allison Janney, em I, Tonya
Leslie Manville, em Phantom Thread
Laurie Metcalf, em Lady Bird
Octavia Spencer, em The Shape of Water
Melhor Argumento Original
The Big Sick
Get Out
Lady Bird
The Shape of Water
Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Melhor Argumento Adaptado
Call Me by Your Name
The Disaster Artist
Logan
Molly’s Game
Mudbound
Melhor Filme de Animação
The Boss Baby
The Breadwinner
Coco
Ferdinand
Loving Vincent
Melhor Filme Estrangeiro
A Fantastic Woman (Chile)
On Body and Soul (Hungria)
The Insult  (Líbano)
Loveless  (Rússia)
The Square (Suécia)
Melhor Documentário
Faces Places
Icarus
Last Men in Aleppo
Strong Island
Melhor Design de Produção
Beauty and the Beast
Blade Runner 2049
Darkest Hour
Dunkirk
The Shape of Water
Melhor Fotografia
Blade Runner 2049
Darkest Hour
Dunkirk
Mudbound
The Shape of Water
Melhor Guarda-Roupa
Beauty and the Beast
Darkest Hour
Phantom Thread
The Shape of Water
Victoria and Abdul
Melhor Montagem
Baby Driver
Dunkirk
I, Tonya
The Shape of Water
Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Melhor Maquilhagem e Cabelo
Darkest Hour
Victoria and Abdul
Wonder
Melhor Banda Sonora Original
Dunkirk, por Hans Zimmer
Phantom Thread, 
por Jonny Greenwood
The Shape of Water,
 por Alexandre Desplat
Star Wars: The Last Jedi, 
por John Williams
Three Billboards Outside Ebbing, Missouri, 
por Carter Burwell
Melhor Canção Original
Remember Me (Coco)
Mystery of Love (Call Me By Your Name)
This Is Me (The Greatest Showman)
Mighty River (Mudbound)
Stand Up For Something (Marshall)
Melhor Edição de Som
Baby Driver
Blade Runner 2049
Dunkirk
The Shape of Water
Star Wars: The Last Jedi
Melhor Mistura de Som
Baby Driver
Blade Runner 2049
Dunkirk
The Shape of Water
Star Wars: The Last Jedi
Melhores Efeitos Visuais
Blade Runner 2049
Guardians of the Galaxy Vol. 2
Kong: Skull Island
Star Wars: The Last Jedi
War for the Planet of the Apes