Segundo avançou a Variety, a transmissão televisiva do canal ABC, da 92.ª cerimónia dos Óscares teve a menor audiência de sempre de uma cerimónia dos Óscares.

A cerimónia foi vista por 23,6 milhões de espectadores nos EUA, o que representa uma queda de 20% (6 milhões de espectadores) em relação ao ano passado. Segundo os dados revelados, houve uma quebra de audiências de 31% nos adultos entre os 18 e os 49 anos, em relação a 2019.

É a segunda vez consecutiva que a cerimónia é feita sem um anfitrião, e apesar de em 2019 esse formato ter resultado num aumento de audiências (29,6 milhões de espectadores) em relação a 2018 (26,5 milhões de telespectadores), em 2020 parece que não foi uma boa aposta.

Segundo a Variety, os números não são propriamente uma surpresa tendo em conta que várias cerimónias de outros prémios têm vindo a registar um declínio nos últimos anos. Por exemplo, os Globos de Ouro de 2020 cairam 2% em relação a 2019, e os Emmys de 2019 tiveram a audiência mais baixa de sempre. Ainda assim, os Óscares continuam a ser a cerimónia com maior audiência de todos.

Os Óscares 2020 podem ter tido as piores audiências da sua história, mas foi uma cerimónia histórica pela vitória de “Parasitas”, do sul coreano Bong Joon Ho, por ser o primeiro filme de língua não inglesa a ganhar o Óscar de Melhor Filme em 92 anos de história. “Parasitas” foi o grande vencedor ao conquistar quatro Óscares (Melhor Filme, Realizador, Argumento Original e Filme Internacional). “1917” venceu apenas nas categorias técnicas (Melhor Fotografia, Mistura de Som e Efeitos Visuais), seguido por “Era Uma Vez em… Hollywood” (Melhor Ator Secundário e Melhor Design de Produção), “Joker” (Melhor Banda Sonora e Melhor Ator) e “Le Mans ’66: O Duelo” (Melhor Montagem e Melhor Edição de Som).

A batalha entre os estúdios terminou com um empate entre o Neon (estúdio que distribuiu “Parasitas” nos Estados Unidos), a Sony Pictures e a Walt Disney. “O Irlandês” foi o grande derrotado da noite, já que o filme de Martin Scorsese para a Netflix teve dez nomeações e zero Óscares. Das 39 estatuetas douradas entregues este ano, um terço foram para mulheres.

Em Portugal, segundo a Marketeer, 188 mil portugueses ficaram acordados para ver os Óscares na Fox, que pelo segundo ano consecutivo assegura a transmissão dos Óscares em Portugal. Segundo os números, registaram-se 188 mil espectadores e um share de 3,3%, números que apontam para uma quebra em relação ao ano passado. Em 2019, cerca de 191 mil portugueses assistiram à cerimónia de entrega das estatuetas douradas.

“O pico de audiência aconteceu logo depois do início da transmissão, coincidindo com a chegada dos convidados. “O interesse dos telespectadores manteve-se até perto da 1h00 da manhã, momento em que terminou a transmissão da passadeira vermelha, baixando progressivamente à medida do avançar da noite (até às 2h30)”, indica a Universal McCann.”

Audiências nos EUA:
2020 – 23,6 milhões (sem apresentador)
2019 – 29,6 milhões (sem apresentador)
2018 – 26,5 milhões (apresentado por Jimmy Kimmel)
2017 – 32,9 milhões (apresentado por Jimmy Kimmel)
2016 – 34,3 milhões (apresentado por Chris Rock)
2015 – 37,3 milhões (apresentado por Neil Patrick Harris)
2014 – 43,7 milhões (apresentado por Ellen DeGeneres)
2013 – 40,3 milhões (apresentado por Seth MacFarlane)
2012 – 39,3 milhões (apresentado por Billy Crystal)
2011 – 37,9 milhões (apresentado por Anne Hathaway/James Franco)
2010 – 41,3 milhões (apresentado por Steve Martin/Alec Baldwin)
2009 – 36,9 milhões (apresentado por Hugh Jackman)