A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou os quatro artistas que vão receber o Óscar Honorário deste ano, são eles: a atriz Geena Davis, o realizador David Lynch, o ator Wes Studi e a realizadora italiana Lina Wertmüller. A 11.ª edição da cerimónia anual da Comissão de Governadores da Academia de Hollywood (troféus honorários), que atribuiu as estatuetas douradas, realiza-se a 27 de outubro, no Baile dos Governadores da Academia.

Numa edição em que se distingue o ativismo pela paridade e pela igualdade de género nos media, o destaque vai para David Lynch – indiscutivelmente, um cineasta de culto – que surge como cabeça de cartaz, num colectivo que faz realçar a primeira mulher nomeada para um Óscar de realização (Lina Wertmüller), uma ativista da igualdade de género (Geena Davis) e um pioneiro actor nativo-americano (Wes Studi).

David Lynch, que nunca recebeu um Óscar, será finalmente homenageado pela sua carreira como realizador, mas também como argumentista e produtor. Nascido em 1946, Lynch é um realizador, um músico e um artista, com mais de 80 filmes. Entre curtas e longas-metragens destaca-se por filmes como: O Homem Elefante” (1980), “Veludo Azul” (1986), “Uma História Simples” (1999),“Mulholland Drive”(2001) e “Inland Empire” (2006). A série de culto aplaudida pelo público e pela crítica “Twin Peaks” (1989-1991) é um dos seus trabalhos mais reconhecidos.

A realizador italiana Lina Wertmüller, a primeira mulher a receber uma nomeação para o Óscar de Melhor Realização com o filme “Pasqualino das Sete Beldades” (1975), destacou-se por focar-se em questões políticas e sociais, tendo realizado filmes como “The Basilisks” (1963), “Ferido na Honra” (1972), “Filme de Amor e Anarquia” (1973) e “Insólito Destino” (1974).

O ator de descendência Cherokee, Wes Studi, ficou célebre pela sua participação em filmes como “Danças com Lobos” (1990), O Último dos Moicanos” (1992) ou “Avatar” (2009).

A atriz Geena Davis, vencedora do Óscar de Melhor Atriz Secundária por “O Turista Acidental” (1988), começou a sua carreira na década de 1980 com “Tootsie – Quando Ele Era Ela” (1982). Seguiram-se papeis em filmes como “A Mosca” (1986), “Thelma e Louise” (1991), “A Ilha das Cabeças Cortadas” (1995), “A Profissional” (1996) e “O Pequeno Stuart Little” (1999). A atriz é fundadora e presidente do Instituto Geena Davis do Género na Mídia, uma organização sem fins lucrativos dedicada a educar e a influenciar criadores de conteúdo de cinema e televisão para eliminar preconceitos e estereótipos de género e criar uma grande variedade de personagens femininas no entretenimento e na mídia voltados para crianças.

Estes prémios reconhecem indivíduos que dedicaram a sua vida a feitos artísticos e que representam contributos extraordinários para a nossa indústria”, disse o presidente da Academia de Hollywood, John Bailey, citado num comunicado da organização.

De relembrar que, em 2018, os Óscares Honorários foram entregues a Cicely Tyson, Lalo Schifrin, Marvin Levy, Kathleen Kennedy e Frank Marshall.