O Canal ABC ficou tão contente com os resultados da última cerimónia dos Óscares que está a debater com a Academia a possibilidade de voltar a não ter anfitrião.

Após terem avançado sem anfitrião para a cerimónia dos Óscares a 24 de fevereiro, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e o canal ABC estão a discutir a possibilidade de manter isso para a próxima, marcada para 6 de fevereiro de 2020: Estamos extremamente contentes com a forma como correu a cerimónia. É provável que nos vejam repetir o que consideramos ser uma fórmula de sucesso“, garantiu Karey Burke, presidente da  ABC Entertainment, numa entrevista recente ao The Hollywood Reporter.

O consenso é que o espetáculo decorreu sem sobressaltos e de forma eficiente. As audiências subiram 12% e a duração só passou 23 minutos das três horas que a ABC e a Academia queriam para “modernizar” o evento para o século XXI. Esta responsável da ABC reconheceu, ainda, queas pessoas foram ver à espera de um desastre e em vez disso tiveram um bom espetáculo, acrescentando que para isso foi importante estarem três nomeados para Melhor Filme que fizeram mais de 200 milhões de dólares nas bilheteiras.

À solução de não ter anfitrião pela primeira vez em 30 anos após Kevin Hart desistir da função por causa de mensagens homofóbicas antigas nas redes sociais juntou-se outro problema: a Academia e a ABC tiveram de recuar em todas as ideias para aumentar as audiências e reduzir a duração da cerimónia, desde criar o Óscar para o “filme mais popular” a apresentar categorias nos intervalos. No entanto, As expectativas podiam ser baixas, mas todos aqui fizeram escolhas ousadas, fizeram coisas arriscadas, apoiaram-se e conseguiram que funcionasse, explicou Karey Burke.