A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas não mudará as regras de elegibilidade para os Óscares, apesar das especulações recentes de que as empresas de streaming pudessem vir a sofrer uma repressão às suas práticas de lançamento.

Um conselho de governadores, que se reuniu esta terça-feira, votou pela manutenção do status quo da Academia, no qual qualquer filme de longa-metragem pode ser considerado elegível para os Óscares, desde que a sua exibição tenha uma duração (mínima) de sete dias, com três sessões públicas por dia, em Los Angeles. Os filmes podem, no entanto, atingir plataformas de lançamento alternativas, como a Netflix ou a Amazon Prime.

Apoiamos a experiência de cinema de sala como parte integrante da arte do cinema e, apesar disso ter pesado muito nas nossas discussões, estas regras permitem que uma ampla selecção de filmes seja submetida à consideração dos Óscares, disse o presidente da Academia, John Bailey, num comunicado recente.

O caso paradigmático mais recente foi o de “Roma”, de Alfonso Cuarón, um filme falado em espanhol, filmado inteiramente a preto e branco, que arrecadou três Óscares este ano, incluindo o de Melhor Realizador. Financiado e distribuído pela Netflix, o filme recebeu uma inédita turnê de exibição exclusiva de três semanas, antes de estar disponível no serviço de streaming. Este movimento não apaziguou as salas de cinema nacionais (AMC, Regal, CineMark), que normalmente exigem 90 dias de exclusividade antes de os filmes chegarem ao entretenimento doméstico.

O IndieWire informou recentemente que o realizador Steven Spielberg estava preocupado em preservar o passatempo nacional de ir ao cinema e pediu à Academia (da qual faz parte, no ramo de realizadores) para proibir os filmes que não oferecem lançamentos significativos nos cinemas de serem elegíveis.

Por outro lado, há a realçar uma mudança significativa por parte da Academia na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira, que este ano foi para “Roma”. A categoria foi renomeada e passará a chamar-se Melhor Filme Internacional.

Nós notamos que a referência a ‘Estrangeiro’ está desactualizado dentro da comunidade cinematográfica global, disseram Larry Karaszewski e Diane Weyermann, co-presidentes do Comitê Internacional de Longas-Metragens. Acreditamos que a ‘melhor filme internacional representa melhor esta categoria e promove uma visão positiva e inclusiva do cinema e a arte do cinema como uma experiência universal”.

Outra nova regra aplica-se à categoria de Melhor Maquilhagem e Cabelo, que passa de três para cinco nomeados. A 92.ª edição dos Óscares realiza-se a 9 de fevereiro de 2020, no Dolby Theatre.