OSCARES-PREVISOES-2021

Óscares 2021: As nossas previsões

A menos de uma semana da grande noite de Hollywood, a cerimónia de entrega dos prémios da Academia norte-americana de Artes e Ciências Cinematográficas, o Cinema Sétima Arte faz as suas previsões dos possíveis vencedores da 93.ª edição dos Óscares que se realiza a 25 de abril.

Segundo as nossas previsões, “Nomadland – Sobreviver na América”, com seis nomeações, irá vencer quatro estatuetas douradas (Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Argumento Adaptado e Melhor Fotografia).

“Ma Rainey: A Mãe do Blues”, com cinco nomeações, deverá vencer também em três categorias: Melhor Ator, Melhor Atriz e Melhor Guarda-Roupa. Seguem-se “Mank” com dois prémios (Melhor Design de Produção e Melhor Maquilhagem e Cabelo), “Judas and the Black Messiah” com um prémio (Melhor Ator Secundário), “Minari” com um prémio (Melhor Atriz Secundária), “Uma Miúda com Potencial” com um prémio (Melhor Argumento Original), “Os 7 de Chicago” com um prémio (Melhor Montagem), e Sound of Metal” com um prémio (Melhor Som).

Na categoria de Melhor Filme, a mais difícil de prever, há três candidatos fortes: “Nomadland”, “Minari” e “Os 7 de Chicago”. O primeiro é o grande favorito a levar o Óscar mais desejado da cerimónia e é a nossa aposta para vencer esta categoria. Se não vejamos. “Nomadland” estreou no Festival de Veneza onde venceu o Leão de Ouro e logo a seguir venceu o Prémio do Público no Festival de Toronto. Desde o início da Temporada de Prémios 2020/2021 tem sido o filme mais premiado, destacando-se por exemplo o prémio de Melhor Filme do Sindicato dos Produtores (Producers Guild Awards – PGA), o Globo de Ouro de Melhor Filme Drama, e o BAFTA de Melhor Filme, entre outros prémios. Aparentemente é o favorito, mas há “Minari”, o grande vencedor do Festival de Sundance 2020 (venceu o Grande Prémio do Júri e o Prémio do Público, em Drama). É um filme calmo, sobre uma família coreano-americana que se muda para uma quinta no Arkansas à procura do seu próprio sonho americano, que tem vindo a ganhar algum protagonismo sobretudo nos últimos meses. Venceu o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro e o seu elenco tem conquistado vários prémios como o de Melhor Atriz Secundária no Screen Actors Guild Awards e venceu um BAFTA. Ou seja, não tem sido o favorito à categoria de Melhor Filme, mas pode ser uma das grandes surpresas da noite, até porque a produção deste filme, em que Brad Pitt é um dos produtores executivos, é uma produção com alguns sucessos nos últimos anos, como “Moonlight” (2016) e “12 Anos Escravo” (2013). Por fim, há “Os 7 Anos de Chicago”, produção da Netflix e a segunda longa-metragem de Aaron Sorkin, é talvez o filme mais político destes Óscares. O filme retrata o julgamento mediático entre o governo dos EUA e sete pessoas que participaram no protesto pacífico contra a Guerra do Vietname em 1968, acusados de incitação à revolta. Tem sido apontado como um dos grandes favoritos, apesar de na reta final da Temporada de Prémios ter vindo a perder expressão.

A categoria de Melhor Realização é uma das categorias que vai fazer história nos Óscares. Primeiro porque é a primeira vez que duas mulheres concorrem ao mesmo tempo pelo Óscar de Melhor Realização, Chloe Zhao, por “Nomadland”, e Emerald Fennell, por “Uma Miúda com Potencial”ambas uma estreia nas nomeações aos Óscares. A realizadora chinesa Chloe Zhao faz também história ao ser a primeira mulher não branca a ser nomeada para a categoria de realização e a primeira mulher a receber quatro nomeações num único ano (está nomeada para Melhor Filme, Realização, Argumento Adaptado e Montagem). Depois porque apenas o veterano David Fincher é de origem norte-americana, visto que Thomas Vinterberg é dinamarquês e Lee Isaac Chung é filho de imigrantes coreanos. O único repetente nesta categoria é o veterano David Fincher, que recebeu a sua terceira nomeação à categoria de Melhor Realização depois de “O Estranho Caso de Benjamin Button” em 2008 e “A Rede Social” em 2011. Apesar de ser um dos favoritos a vencer este ano, o filme tem vindo a perder terreno ao longo da Temporada de Prémios. A nossa aposta para vencer esta categoria recai sobre Chloe Zhao, por “Nomadland”, por ter conquistado inúmeros prémios ao longo da Temporada e por ter vencido o prémio de Melhor Realização nos Directors Guild of America (DGA), triunfou nos BAFTA e nos Globos de Ouro.

Nas categorias de representação há vários estreantes: Riz Ahmed, em “Sound of Metal”, Chadwick Boseman, em “Ma Rainey: A Mãe do Blues”, Steven Yeun, em “Minari”, Andra Day, em “The United States vs. Billie Holiday”, Vanessa Kirby, em “Pieces of a Woman”, Leslie Odom, em “One Night in Miami”, Paul Raci, em “Sound of Metal”, Lakeith Stanfield, em “Judas and the Black Messiah”, Maria Bakalova, em “Borat 2”, Amanda Seyfried, em “Mank” e Yuh-Jung Youn, em “Minari”.

A nossa aposta para a categoria de Melhor Ator vai para Chadwick Boseman, falecido em agosto de 2020, tendo conquistado praticamente todos os prémios nesta temporada. Na de Melhor Atriz apostamos em Viola Davis, que venceu os SAG Awards (o sindicato dos atores norte-americano), mas as contas não são fáceis, dado que a concorrência é bastante forte com Frances McDormand e Carey Mulligan entre as favoritas. Viola Davis, que já entrou para a história dos Óscares como a atriz negra mais nomeada de todos os tempos, sendo esta a sua quarta nomeação, pode alcançar a sua segunda estatueta dourada na 93.ª edição. Carey Mulligan tem vindo a destacar-se ao longo da temporada de prémios e é vista como uma possível vencedora. Das cinco nomeadas Frances é a mais forte e já venceu dois Óscares de Melhor Atriz, em 1997 por “Fargo” e em 2018 por “Três Cartazes à Beira da Estrada”.

Na categoria de Melhor Filme de Animação há dois favoritos: “Soul” (Disney/Pixar) e “Wolfwalkers” (Apple TV+ e Cartoon Saloon). A nossa aposta vai para “Soul”, que conquistou sete troféus, incluindo o de Melhor Filme, nos Annie Awards. Na de Melhor fotografia a disputa será claramente entre o preto e branco de “Mank” e a luz natural de “Nomadland”.

Netflix, o estúdio com mais nomeações aos Óscares, pelas nossas previsões irá conquistar 8 Óscares, em 35 nomeações.

As nossas previsões

Melhor Filme
The Father
Judas and the Black Messiah
Mank
Minari
Nomadland
Promising Young Woman
Sound of Metal
The Trial of the Chicago 7

Melhor Realização
Thomas Vinterberg, por Another Round
David Fincher, por Mank
Lee Isaac Chung, por Minari
Chloe Zhao, por Nomadland
Emerald Fennell, por Promising Young Woman

Melhor Ator
Riz Ahmed, em Sound of Metal
Chadwick Boseman, em Ma Rainey’s Black Bottom
Anthony Hopkins, em The Father
Gary Oldman, em Mank
Steven Yeun, em Minari

Melhor Atriz
Viola Davis, em Ma Rainey’s Black Bottom
Andra Day, em The United States vs. Billie Holiday
Vanessa Kirby, em Pieces of a Woman
Frances McDormand, em Nomadland
Carey Mulligan, em Promising Young Woman

Melhor Ator Secundário
Sacha Baron Cohen, em Borat Subsequent Moviefilm
Daniel Kaluuya, em Judas and the Black Messiah
Leslie Odom, Jr., em One Night in Miami
Paul Raci, em Sound of Metal
Lakeith Stanfield, em Judas and the Black Messiah

Melhor Atriz Secundária
Maria Bakalova, em Borat Subsequent Moviefilm
Glenn Close, em Hillbilly Elegy
Olivia Colman, em The Father
Amanda Seyfried, em Mank
Yuh-Jung Youn, em Minari

Melhor Argumento Original
Will Berson, Shaka King, Keith Lucas, e Kenny Lucas, em Judas and the Black Messiah
Lee Isaac Chung, em Minari
Emerald Fennell, em Promising Young Woman
Derek Cianfrance, Abraham Marder, Darius Marder, em Sound of Metal
Aaron Sorkin, em The Trial of the Chicago 7

Melhor Argumento Adaptado
Sacha Baron Cohen and Co-Writers, em Borat Subsequent Moviefilm
Florian Zeller and Christopher Hampton, em The Father
Chloe Zhao, em Nomadland
Kemp Powers, em One Night in Miami
Ramin Bahrani, em The White Tiger

Melhor Filme de Animação
Onward
Over the Moon
Shaun the Sheep Movie: Farmageddon
Soul
Wolfwalkers

Melhor Filme Estrangeiro
Another Round (Dinamarca)
Better Days (Hong Kong)
Collective (Roménia)
The Man Who Sold His Skin (Tunísia)
Quo Vadis, Aida? (Bósnia e Herzegovina)

Melhor Documentário
Collective
Crip Camp
The Mole Agent
My Octopus Teacher
Time

Melhor Fotografia
Sean Bobbitt, por Judas and the Black Messiah
Erik Messerschmidt, por Mank
Dariusz Wolski, por News of the World
Joshua James Richards, por Nomadland
Phedon Papamichael, por The Trial of the Chicago 7

Melhor Guarda-Roupa
Emma
Ma Rainey’s Black Bottom
Mank
Mulan
Pinocchio

Melhor Montagem
The Father
Nomadland
Promising Young Woman
Sound of Metal
The Trial of the Chicago 7

Melhor Maquilhagem e Cabelo
Emma
Hillbilly Elegy
Ma Rainey’s Black Bottom
Mank
Pinocchio

Melhor Banda Sonora Original
Da 5 Bloods
Mank
Minari
News of the World
Soul

Melhor Canção Original
“Fight For You” de Judas and the Black Messiah
“Hear My Voice” de The Trial of the Chicago 7
“Husavik” de Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga
“lo Sì (Seen)” de The Life Ahead (La Vita Davanti a Se)
“Speak Now” de One Night in Miami

Melhor Design de Produção
The Father
Ma Rainey’s Black Bottom
Mank
News of the World
Tenet

Melhor Som
Greyhound
Mank
News of the World
Soul
Sound of Metal

Melhores Efeitos Visuais
Love and Monsters
The Midnight Sky
Mulan
The One and Only Ivan
Tenet

Melhor Curta de Animação
Burrow 
Genius Loci
If Anything Happens I Love You
Opera
Yes-People

Melhor Curta Live-Action
Feeling Through
The Letter Room
The Present
Two Distant Strangers
White Eye

Melhor Curta Documental
Colette
A Concerto Is a Conversation
Do Not Split
Hunger Ward
A Love Song for Latasha

Skip to content