oscares-2022-1

Óscares 2022: Nomeados

Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS) norte-americana divulgou hoje a lista de nomeados para a 94.ª edição dos Óscares. O ator Leslie Jordan e a produtora Tracee Ellis Ross revelaram em direto, pelo youtube, os nomeados aos Óscares 2022, uma edição que tenta voltar às origens, depois de no ano passado ter mudado a sua cerimónia de prémios, em função da pandemia por covid-19, para a Union Station (a grande estação de comboios no centro de Los Angeles).

Tal como em 2021 (com “Mank”), é uma produção da Netflix que lidera as nomeações aos Óscares. “O Poder do Cão”, realizado por Jane Campion, lidera com 12 nomeações. A longa “O Poder do Cão”, protagonizado pelo britânico Benedict Cumberbatch, marca o retorno de Jane Campion à direção após um hiato de 12 anos (dedicando-se apenas à televisão).

O filme foi nomeado nas categorias: Melhor Filme (Jane Campion, Tanya Seghatchian, Emile Sherman, Iain Canning e Roger Frappier), Melhor Realização (Jane Campion), Melhor Ator (Benedict Cumberbatch), Melhor Ator Secundário (Kodi Smit-McPhee e Jesse Plemons), Melhor Atriz Secundária (Kirsten Dunst) e Melhor Argumento Adaptado (Jane Campion). Lembramos que o estúdio com mais nomeações é a Netflix (com 27 ao todo), estando o streaming a liderar as nomeações contra os restantes estúdios de Hollywood.

Benedict Cumberbatch e Kodi Smit-McPhee em “O Poder do Cão”

Com “O Poder do Cão”, Jane Campion torna-se a primeira mulher com duas nomeações na categoria de realização da história do Óscar. Benedict Cumbertbatch e Kodi Smit-McPhee seguem como os favoritos a levar o Óscar de Melhor Ator e Melhor Ator Secundário, respetivamente. Após 25 anos de carreira, é a primeira nomeação por parte da Academia para a atriz Kirsten Dunst. E, supreendentemente, Jesse Plemons superou Jamie Dornan (“Belfast”) e ficou com uma das cinco vagas da categoria de Melhor Ator Secundário.

“Duna”, de Denis Villeneuve, é o segundo mais nomeado, em 10 categorias, seguindo-se “Belfast” e “West Side Story” com 7 nomeações cada. “King Richard – Para Além do Jogo” consegue 6 nomeações e “Não Olhem para Cima”, “Drive My Car” e “Nightmare Alley – O Beco das Almas Perdidas” conseguem 4 cada um.

“Belfast”, “Não Olhem para cima”, “Duna”, “Licorice Pizza”, “O Poder do Cão”, “CODA”, “Drive my Car”, “King Richard – Para Além do Jogo “, “Nightmare Alley – Beco das Almas Perdidas”, “Wide Side Story” concorrem a Melhor Filme.

Nomeados a Melhor Filme

Entre os nomeados a Melhor Realização, temos Paul Thomas Anderson pelo seu incrível trabalho em “Licorice Pizza”Jane Campion, a favorita ao Óscar por “O Poder do Cão”Kenneth Branagh pelo intenso drama familiar “Belfast”, Steven Spielberg por sua versão do clássico “West Side Story” e o japonês Ryûsuke Hamaguchi pelo sublime “Drive my Car”.

Ficaram de fora da disputa Denis Villeneuve do visionário “Duna”, Adam McKay do polémico “Não Olhem para Cima”, Maggie Gyllenhaal do intenso “A Filha Perdida”, Rebecca Hall do reflexivo “Passing”, Lin-Manuel Miranda do eletrizante “Tick, Tick… ​​Boom!”Michael Sarnoski do drama “Pig – A Viagem de Rob”, Emma Seligman do cómico “Shiva Baby”, Siân Heder do inspirador “CODA” e Guilhermo del Toro do renomado “Nightmare Alley – Beco das Almas Perdidas”.

Os realizadores favoritos da temporada

Esperávamos uma nomeação para Maggie Gyllenhaal pela realização de “A Filha Perdida”, mas ela acabou sendo nomeada em outra categoria, Argumento Adaptado, pela sua adaptação do livro best-seller de Elena Ferrante. Na categoria, Gyllenhaal concorrerá com Siân Heder por “CODA”, Ryûsuke Hamaguchi e Takamasa Oe por “Drive my Car”, Jon Spaihts, Denis Villeneuve e Eric Roth por “Duna” e Jane Campion por “O Poder Cão”.

Na categoria de Melhor Argumento Original, Paul Thomas Anderson poderá ser o favorito da temporada, ele disputará a estatueta com o 5 vezes nomeado ao Óscar Kenneth Branagh que assina a sua autobiografia “Belfast”, com o 7 vezes nomeado ao Óscar Adam McKay, que com David Sirota assina o roteiro de “Não Olhem para Cima”, e com os estreantes Zach Baylin de “King Richard” e Eskil Vogt e Joachim Trier de “A Pior Pessoa do Mundo”.

Paul Thomas Anderson

Anderson já recebeu duas nomeações ao Óscar de Melhor Argumento Original, por “Jogos de Prazer” e “Magnólia”. Também já foi indicado ao Óscar de Melhor Argumento Adaptado por “Haverá Sangue” e “Vício Intrínseco” e Melhor Realização por “Haverá Sangue” e “Linha Fantasma”.

Branagh já foi nomeado em 5 categorias diferentes no Óscar, o que inclui: Melhor Ator (“Henrique V”), Melhor Realização (“Henrique V”), Melhor Ator Secundário (“A Minha Semana com Marilyn”), Melhor Curta-Metragem Live-action (“Swan Song”) e Melhor Argumento Adaptado (“Hamlet”). Este ano, ele concorrerá nas categorias Melhor Filme, Melhor Realização e Melhor Argumento Original. Recordamos que o recorde anterior de seis indicações em seis categorias diferentes foi ocupado por George Clooney e Walt Disney.

Adam McKay já foi nomeado uma vez a Melhor Argumento Original, por “Vice”, uma vez a Melhor Argumento Adaptado por “A Queda de Wall Street”, uma vez por Melhor Filme (“Vice”) e duas vezes com Melhor Realização (“A Queda de Wall Street” e “Vice”). Este ano, ele concorrerá a Melhor Argumento Original e Melhor Filme.

Na categoria de Melhor Atriz estão: Jessica Chastain (“The Eyes of Tammy Faye”), Olivia Colman (“A Filha Perdida”), Penélope Cruz (“Mães Paralelas”), Nicole Kidman (“Being the Ricardos“) e Kristen Stewart (“Spencer“), considerada uma potencial principal candidata pelo seu desempenho marcante como Diana Spencer, Princesa de Gales em “Spencer”, de Pablo Larraín. Supreendentemente, Chastain, que estava em segundo plano na corrida conseguiu alcançar um vaga no pódio.

Nomeadas a Melhor Atriz

Lady Gaga, que era considerada por muitos candidata a melhor atriz por “Casa Gucci”, de Ridley Scott, ficou de fora. O filme foi indicado apenas na categoria de Óscar de Melhor Caracterização. Gaga, que chegou a ser criticada por seu sotaque no longa, afirmou na pré-estreia, em novembro, que teve um “romance de 9 meses” com sua personagem. Lembramos que a atriz e cantora foi a única na temporada a ter sido nomeada aos principais prémios (Bafta, Globos de Ouro e SAG Awards). A ausência do nome de Lady Gaga na categoria de Melhor Atriz surpreendeu todos e está a ser fortemente mencionado nas redes sociais.

Além de Gaga, outros dois grandes nomes de Hollywood ficaram de fora da relação mesmo com a grande repercussão de seus trabalhos em 2021. Tratam-se de Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence, protagonistas de “Não Olhem para Cima”. O filme da Netflix recebeu quatro indicações ao Óscar 2022, mas nenhuma nas categorias de atuação.

Lady Gaga na 91.ª cerimónia do Óscar

Entre as nomeadas ao Óscar de Melhor Atriz, a única que nunca foi indicada é Kristen Stewart. Vale lembrar que Olivia Colman já tem uma estatueta de Melhor Atriz por sua intensa atuação em “A Favorita”, de Yorgos Lanthimos, Colman também foi indicada na categoria Melhor Atriz Secundária por “O Pai”, de Florian Zeller. Jessica Chastain já foi nomeada duas vezes ao Óscar, essa é a segunda vez que ela concorre na categoria de Melhor Atriz, a primeira vez foi em 2012 por “00:30 Hora Negra”, de Kathryn Bigelow, a atriz também tem uma nomeação ao Óscar de Melhor Atriz Secundária pela sua atuação em “As Serviçais”, de Tate Taylor – ela acabou a perder para a sua companheira de elenco Octavia Spencer.

Penélope Cruz ganhou a estatueta de Melhor Atriz Secundária pela sua participação no filme “Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen. Cruz também tem mais uma nomeação na categoria de Melhor Atriz Secundária, pelo musical “Nine”, de Rob Marshall, e uma na categoria de Melhor Atriz pelo drama “Volver”, de Pedro Almodóvar.

A veterana da categoria é Nicole Kidman, que ostenta 1 vitória e 4 nomeações. Kidman venceu na categoria Melhor Atriz por “As Horas”, de Stephen Daldry. A australiana recebeu mais duas nomeações na categoria, respectivamente, por “Moulin Rouge, Moulin Rouge!”, de Baz Luhrmann e por “O Outro Lado do Coração”, de John Cameron Mitchell. No seu extenso currículo há também uma nomeação a Melhor Atriz Secundária por “Lion – A Longa Estrada para Casa”, de Garth Davis.

A corrida de Melhor Ator inclui Javier Bardem (“Being the Ricardos”), Benedict Cumberbatch (“O Poder do Cão”), Andrew Garfield (“tick, tick … BOOM!”), Will Smith (“King Richard”) e Denzel Washington (“A Tragédia de Macbeth”). Bardem derrotou alguns dos concorrentes bastante contundentes, o que inclui Peter Dinklage por “Cyrano”, de Joe WrightLeonardo DiCaprio por “Não Olhem Para Cima“, de Adam McKaySimon Rex por “Red Rocket”, de Sean S. Baker e Nicolas Cage por “Pig – A viagem de Rob”, de Michael Sarnoski.

Nomeados a Melhor Ator

Tanto Will Smith quanto Denzel Washington têm conquistas marcantes pelas quais competir. Smith, protagonista de “King Richard”, de Reinaldo Marcus Green, chega à sua terceira nomeação em busca do seu primeiro prémio. Já Washington, com o shakespeariano “A Tragédia de Macbeth”, de Joel Coen, acumula oito nomeações por suas atuações e pode integrar a curta lista dos atores mais vencedores.

Will Smith, após ter ficado no quase em 2007, com “Em Busca da Felicidade”, de Gabriele Muccino, e em 2002, com “Ali”, de Michael Mann — perdendo para o próprio Denzel — tenta novamente a sua primeira estatueta, com uma personagem que une o drama ao que consagrou a sua carreira: o humor. Washington já tem duas estatuetas, uma de Melhor Ator por Dia de Treino”, de Antoine Fuqua, e uma de Melhor Ator Secundário por “Tempo de Glória”, de Edward Zwick.

É a segunda vez que Garfield concorre ao prémio de Melhor Ator, o eterno Homem-Aranha já havia disputado o prémio em 2017 por “O Herói de Hacksaw Ridge”, de Mel Gibson. Bardem, que é o primeiro espanhol a ganhar um Óscar, chega à premiação com uma atuação nada surpreendente, porém aceitável. O espanhol já tem uma estatueta de Melhor Ator Secundário pela sua extraordinária atuação no clássico “Este País Não É para Velhos, dos Irmãos Coen. Ele já foi nomeado duas vezes ao Óscar de Melhor Ator, por “Antes do Anoitecer”, de Julian Schnabel e por “Biutiful”, de Alejandro González Iñárritu – Nesta edição, Bardem e Cruz serão o único casal a concorrer nas principais categorias.

Na categoria Melhor Atriz Secundária, a nomeação de Judi Dench, aos 87 anos, por “Belfast”, e Jessie Buckley, por “A Filha Perdida” pode ter surpreendido. Já se esperavam, porventura, as nomeações de Kirsten Dunst, por “O Poder do Cão”, Aunjanue Ellis, por “King Richard” e Ariana DeBose, por “West Side Story” – DeBose segue podendo ser a favorita a levar o prémio para casa. Assim sendo, Caitriona Balfe de “Belfast”, Marlee Matlin de “CODA”Ann Dowd de “MASS” e Dakota Johnson de “A Filha Perdida” foram esquecidas pela Academia.

Nomeadas a Melhor Atriz Secundária

Os favoritos da temporada: Ciarán Hinds de “Belfast”, Troy Kotsour de “CODA” e Kodi Smit-McPhee de “O Poder do Cão” conseguiram chegar ao Óscar confirmando a estima da comunidade cinéfila. A grande surpresa da categoria foi a nomeação de Jesse Plemons de “O Poder do Cão” e J. K. Simmons de “Being the Ricardos” – Smit-McPhee pode bem ser o favorito da categoria de Melhor Ator Secundário. Jamie Dornan de “Belfast” que durante a temporada fez dupla com Hinds, acabou ficando de fora, o mesmo aconteceu com Jeffrey Wright, de “Crónicas de França”Jason Isaacs, de “MASS”Jon Bernthal, de “King Richard”, Idris Elba, de “Vingança e Castigo”, Richard Jenkins de “The Humans” e Reed Birney de “MASS”.

Nomeados a Melhor Ator Secundário

O documentário que sensibiliza “Flee” (“A Fuga”), do dinamarquês Jonas Poher Rasmussen, tornou-se o primeiro filme da história a ser indicado a Melhor Documentário (Jonas Poher Rasmussen), Melhor Filme Internacional (Jonas Poher Rasmussen) e Melhor Animação (Jonas Poher Rasmussen, Monica Hellström, Signe Byrge Sørensen e Charlotte De La Gournerie) no mesmo ano. “Flee” é o quinto filme documentário a ser nomeado para a categoria de Melhor Filme Internacional, depois de “Waltz with Bashir” (2008), “The Missing Picture” (2013), “Honeyland” (2019) e “Collective”(2020).

Sem qualquer surpresa, Drive my Car”, de Ryûsuke Hamaguchi, foi nomeado na categoria Melhor Filme Internacional, provando que é claramente o favorito a vencer a estatueta. Para nossa felicidade, a longa também recebeu nomeações nas categorias de Melhor Filme (Teruhisa Yamamoto), Melhor Realização (Ryûsuke Hamaguchi) e Melhor Argumento Adaptado (Ryûsuke Hamaguchi e Takamasa Oe).

As estrelas pop Billie Eilish e Beyoncé estão a concorrer na categoria de Melhor canção original pela composição, respectivamente, de “No time to die”, tema de “007 – Sem tempo para morrer”, eBe Alive, de “King Richard”. Em Be Alive, Beyoncé Knowles-Carter assina com Dixson e No time to die”, Billie Eilish assina com seu irmão Finneas O’Connell. A categoria traz também figuras como: Lin-Manuel Miranda com Dos Oruguitas, de “Encanto”, o roqueiro Van Morrison com Down to Joy, de “Belfast” e uma das recordistas da categoria Diane Warren com Somehow You Do, de “Four Good Days”. Este ano, Warren conquistou sua 13.ª nomeação.

Beyoncé e Billie Eilish

Como noticiamos, a Academia já tinha confirmado que este ano haverá um anfitrião para apresentar a cerimónia de entrega dos prémios, algo que não acontecia desde 2018 (a 90.ª edição). Depois de três anos sem apresentador, a AMPAS volta ao formato de apresentador, sem se conhecer até ao momento quem será a estrela da noite, tentando atrair mais espectadores para uma transmissão televisiva que tem vindo a perder audiências ao longo dos anos.

A última vez que os Óscares tiveram um anfitrião, em 2018, a cerimónia foi vista por 26,62 milhões de espectadores (uma das mais baixas audiências), apresentado pelo comediante Jimmy Kimmel, que apresentou também em 2017. Em 2019, sem apresentador, as audiências da cerimónia dos Óscares subiram para os 29,56 milhões, mas voltaram a cair em 2020 para os 23,64 milhões e para os 10,40 milhões em 2021. Confira aqui os antigos anfitriões e especulações.

Sob o lema “Movie lovers unite“, a 94.ª edição dos Óscares será presencial e transmitida em direto no emblemático Dolby Theatre, em Hollywood, no dia 27 de março.

Confira todos os nomeados abaixo:

Melhor Filme
Belfast
CODA
Don’t Look Up
Drive My Car
Dune
King Richard
Licorice Pizza
Nightmare Alley
The Power of the Dog
West Side Story

Melhor Realização
Kenneth Branagh, por Belfast
Ryûsuke Hamaguchi, por Drive My Car
Paul Thomas Anderson, por Licorice Pizza
Jane Campion, por The Power of the Dog
Steven Spielberg, por West Side Story

Melhor Ator
Javier Bardem, em Being the Ricardos
Benedict Cumberbatch, em The Power of the Dog
Andrew Garfield, em Tick, Tick … Boom!
Will Smith, em King Richard
Denzel Washington, em The Tragedy of Macbeth

Melhor Atriz
Jessica Chastain, em The Eyes of Tammy Faye
Olivia Colman, em The Lost Daughter
Penélope Cruz, em Parallel Mothers
Nicole Kidman, em Being the Ricardos
Kristen Stewart, em Spencer

Melhor Ator Secundário
Ciarán Hinds, em Belfast
Troy Kotsur, em CODA
Jesse Plemons, em The Power of the Dog
J.K. Simmons, em Being the Ricardos
Kodi Smit-McPhee, em The Power of the Dog

Melhor Atriz Secundária
Jessie Buckley, em The Lost Daughter
Ariana DeBose, em West Side Story
Judy Dench, em Belfast
Kirsten Dunst, em The Power of the Dog
Aunjanue Ellis, em King Richard

Melhor Argumento Original
Belfast, por Kenneth Branagh
Don’t Look Up, por Adam McKay, David Sirota
King Richard, por Zach Baylin
Licorice Pizza, por Paul Thomas Anderson
The Worst Person in the World, por Eskil Vogt, Joachim Troer

Melhor Argumento Adaptado
CODA, por Siân Heder
Drive My Car, por Ryûsuke Hamaguchi, Takamasa Oe
Dune, por Jon Spaihts, Denis Villeneuve, Eric Roth
The Lost Daughter, por Maggie Gyllenhaal
The Power of the Dog, por Jane Campion 

Melhor Filme de Animação
Encanto
Flee
Luca
Mitchells vs the Machine
Raya and the Last Dragon

Melhor Filme Internacional
Drive My Car (Japão)
Flee (Dinamarca)
The Hand of God (Itália)
Lunana: A Yak in the Classroom (Butão)
The Worst Person in the World (Noruega)

Melhor Documentário
Ascension
Attica
Flee
Summer of Soul (…Or, When The Revolution Could Not Be Televised)
Writing With Fire

Melhor Fotografia
Dune, por Greig Fraser
Nightmare Alley, por Dan Laustsen
The Power of the Dog, por Ari Wegner
The Tragedy of Macbeth, por Bruno Delbonnel
West Side Story, por Janusz Kamiński

Melhor Guarda-Roupa
Cruella
Cyrano
Dune
Nightmare Alley
West Side Story 

Melhor Montagem
Don’t Look Up
Dune
King Richard
Power of the Dog
tick tick boom

Melhor Maquilhagem e Cabelo
Coming to America
Cruella,
Dune
Eyes of Tammy Faye,
House of Gucci

Melhor Banda Sonora Original
Don’t Look Up, por Nicholas Britell
Dune, por Hans Zimmer
Encanto, por Germaine Franco
Parallel Mothers, por Alberto Iglesias
The Power of the Dog, por Jonny Greenwood

Melhor Canção Original
“Be Alive” (“King Richard”), Beyoncé Knowles-Carter, Dixson
“Dos Oruguitas” (“Encanto”), Lin-Manuel Miranda
“Down to Joy” (“Belfast”), Van Morrison
“No Time to Die” (“No Time to Die”), Billie Eilish, Finneas O’Connell
“Somehow You Do” (“Four Good Days”), Diane Warren

Melhor Design de Produção
Dune
Nightmare Alley
The Power of the Dog
The Tragedy of Macbeth
West Side Story

Melhor Som
Belfast
Dune
No Time to Die
Power of the Dog
West Side Story

Melhores Efeitos Visuais
Dune
Free Guy
No Time to Die
Shang-Chi and the Legend of the Ten Rings
Spider-Man: No Way Home

Melhor Curta de Animação
Affairs of the Art
Bestia

Boxballet
Robin Robin
The Windshield Wiper 

Melhor Curta Live-Action
Ala Kachuu – Take and Run
The Dress
The Long Goodbye
On My Mind
Please Hold

Melhor Curta Documental
Audible
Lead Me Home
The Queen of Basketball
Three Songs for Benazir
When We Were Bullies

Texto escrito por Tiago Resende e Vanderlei Tenório

Skip to content