Da televisão, onde é um êxito, para o cinema, o percurso da ovelha Choné assume-se como mais um triunfo para os estúdios ingleses de animação Aardman. A ovelha Choné surgiu pela primeira vez em 1995 numa das curtas de “Wallace e Gromit” (“Wallace & Gromit in A Close Shave”), criada por Nick Park, que mais tarde viria a protagonizar a sua própria série “Shaun the Sheep” (“A Ovelha Choné”, em português). A série tornou-se rapidamente num sucesso no Reino Unido, sendo hoje emitida em muitos outros países. Em Portugal a série é emitida na RTP2.

A Aardman Animations, responsável por filmes como “A Fuga das Galinhas” (2000), “Wallace & Gromit: A Maldição do Coelhomem” (2005) e “Os Piratas” (2012) adapta ao grande ecrã uma aventura irresistível da ovelha matreira Choné.

Em “A Ovelha Choné – O Filme”, a ovelha Choné e o seu rebanho vivem sob a protecção do Agricultor e de Bitzer, um cão pastor com boas intenções, mas pouco eficaz, tendo uma vida tranquila na quinta Vale Verdejante. Todos os dias são iguais na quinta, que caiu numa rotina enfadonha. Choné tenta então quebrar essa monotonia com um plano engenhoso para conseguir um dia de folga. Mas quando as ovelhas enviam acidentalmente o agricultor na sua caravana para a grande cidade, as coisas ficam fora de controlo. Sem saber muito bem o que fazer sem o seu protector Agricultor, Choné encontra apenas uma solução: ir até à cidade, encontrar Bitzer e trazê-lo de volta para a tranquilidade do Vale Verdejante, onde todos poderão viver um resto de viva feliz. Mas, como conseguirão eles a proeza de sobreviver e passar despercebidos numa cidade cheia de seres humanos de intenções duvidosas?

Mark Burton e Richard Starzak escrevem o argumento e assinam a realização deste filme de animação que mantém o seu humor muito inglês, sem recorrerem a um único diálogo humano. O filme vive muito de ações que provocam desastres, de gagues visuais, de pormenores pensados pelos animadores e do som, que valorizam o filme.

“A Ovelha Choné – O Filme” brilha por conseguir reunir tantas personagens ao mesmo tempo e todas elas, mas sobretudo as ovelhas, são bastante expressivas, mesmo sem falas. Acaba por ser relevante a estreia desta animação de volumes em ‘stop motion’ nas salas de cinema, dado que a generalidade dos filmes de animação que estreiam nas nossas salas de cinema recorrem sempre à técnica de animação computadorizada (animação digital). O filme tecnicamente está muito bem conseguido, com o rigor e profissionalismo que os estúdios Aardman tem mantido ao longo dos anos.

Os trabalhos mais antigos da Aardman continuam a ser mais interessantes, mas este filme não deixa de ser uma boa referência para o cinema de animação. Um filme com muita lã, aventura e humor, revela-se o filme ideal para toda a família. É uma delícia!

Realização: Mark Burton, Richard Starzak

Argumento: Mark Burton, Richard Starzak

Elenco: Justin Fletcher, John Sparkes, Omid Djalili

Reino Unido/2015 – Animação

Sinopse: Choné, uma ovelha esperta e matreira, vive com o seu rebanho na quinta Vale Verdejante sob a supervisão do Agricultor e de Bitzer, um cão pastor com boas intenções, mas pouco eficaz. Apesar dos esforços da Ovelha Choné, a vida na quinta caiu numa rotina enfadonha e ela conjura um plano engenhoso para conseguir um dia de folga. No entanto, o plano da Ovelha Choné descontrola-se rapidamente e faz com que o indefeso Agricultor acabe longe da quinta. Com a ajuda do rebanho, Choné tem de deixar a quinta pela primeira vez e viajar até à Grande Cidade, para salvar o Agricultor… e falhar não é uma opção. Mas, como irão as ovelhas sobreviver? Conseguirão passar despercebidas, evitar que descubram que são ovelhas e dessa forma manterem-se a salvo das garras do malvado funcionário do controlo animal?

«A Ovelha Choné - O Filme» - Uma aventura irresistível
3.5Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos