“Parasitas”, vencedor da Palma de Ouro do 72.º Festival Internacional de Cinema de Cannes, entra em cartaz nesta quinta-feira (26) e, com certeza, aparecerá em muitas das listas de melhores do ano de 2019. O filme do realizador e argumentista sul-coreano Bong Joon-Ho (“Okja”, “O Hospedeiro”) é daqueles em que a respiração do espectador fica suspensa devido aos óptimos plot twists que obviamente não revelarei aqui.

A câmara logo introduz a família central da trama: o pai Ki-taek (interpretado pelo famoso ator Kang-ho Song), a mãe Chung-sook (a maravilhosa Hye-jin Jang), e seus dois filhos já crescidos, o jovem Ki-woo (Woo-sik Choi), e a rebelde rapariga Ki-jung (So-dam Park). Eles moram numa cave toda caótica, usam o wi-fi do vizinho e estão todos desempregados.

Até que um amigo de Ki-woo metido a superior o convence a dar explicações de Inglês a uma adolescente que ele pretende pedir em casamento quando ela entrar na universidade. A jovem Da-hye (Jung Ziso) pertence a uma família muito rica. Ela é filha do sr. Park (Lee Sun-kyun), dono de uma grande empresa de tecnologia, e da ingénua dona de casa Yeon-kyo (Cho Yeo-jeong), e tem um irmão de nove anos, Da-song (Jung Hyeon-jun), que mostra talento para as artes e para outros tipos de perceções determinantes para a trama. Deslumbrado, o novo professor logo vê a chance de arranjar emprego para todos os seus parentes ali naquela mansão. A partir daí, a rotina destes ricos será totalmente alterada pela família pobre.

A mistura de submissão e falcatrua entra nesse conflito de classes sociais, assim como o suspense, o humor absurdo e a violência. O próprio realizador afirmou que esta é “uma comédia sem palhaços, uma tragédia sem vilões”, isto é, beira a realidade.

“Parasitas” dispõe de uma bela cinematografia para contrastar bem quem são os servos e quem são os patrões (como fez Park Chan-wook em “A Criada”), e para falar da pobreza daqueles que precisam sumir para escapar de dívidas (também tema do filme “Em Chamas”, de Lee Chang-dong).

O filme é um claro ataque ao capitalismo e ao estilo de vida arrogante da classe alta. É sufocante como viver numa cave. Em uma cena, o personagem do pai pobre tem a sola de seus pés sujos bem focada. Mas será que é disso que deveríamos ter nojo a essa altura?

Em entrevista ao site IMDb (disponível no YouTube), o realizador disse que “Parasitas” não existiria se Kang-ho Song, que também é seu amigo há 20 anos, não tivesse topado fazê-lo. Ainda bem que o ator aceitou o papel pois, assim, o cinema sul-coreano só ganha mais fãs e reconhecimento pelo mundo.

Realização: Joon-ho Bong
Argumento: Joon-ho Bong
Elenco: Kang-ho Song, Sun-kyun Lee, Yeo-jeong Jo
Coreia do Sul/2019 – Comédia/Thriller/Drama
Sinopse
: Uma família coreana no desemprego começa a ter um interesse peculiar por uma outra, esta com um estilo de vida cheio de glamour – até que todos se envolvem num acontecimento absolutamente inesperado.

 

 

«Parasitas» - vencedor de Cannes, sul-coreano é um dos melhores filmes de 2019
5.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos