Phillip Baker Hall: morreu o actor secundário favorito de Paul Thomas Anderson

Last updated:

Morreu na noite do último domingo (12), aos 90 anos, Philip Baker Hall, um dos atores mais queridos de Hollywood. Hall era mais conhecido por seu papel em “Seinfeld” e por suas inesquecíveis participações em filmes de Paul Thomas Anderson.

A notícia foi anunciada pela primeira vez pelo vizinho e amigo de Hall, o escritor esportivo de Los Angeles Sam Farmer – colaborador do jornal Los Angeles Time, no Twitter. A morte foi confirmada pelo The Hollywood Reporter. A causa da morte, no entanto, não foi mencionada. Segundo Christian Zilko, do IndieWire, os representantes de Hall não puderam ser contatados imediatamente para comentar.

“Meu vizinho, amigo e uma das pessoas mais sábias, talentosas e gentis que já conheci, Philip Baker Hall, morreu pacificamente ontem à noite. Ele estava cercado por entes queridos. O mundo tem um espaço vazio nele”, escreveu Framer no Twitter.

Holly Wolfle Hall, mulher do actor há quase 40 anos, confirmou que Baker Hall morreu “rodeado pelas suas pessoas mais queridas em Glendale, na Califórnia”. Acrescentou que o actor se encontrava bem até há algumas semanas, e que passou os dias finais bem-disposto, a reflectir sobre a sua vida.

 

 

Vida pregressa:

Hall nasceu em Toledo, Ohio, em 1931, filho de Alice Birdene e William Alexander Hall. Ele frequentou a Universidade de Toledo e serviu como tradutor do Exército dos EUA na Alemanha antes de iniciar sua carreira de ator em algumas pequenas produções teatrais de Nova York.

Hall deixa sua esposa, Holly Wolfe, e suas duas filhas, Adella e Anna.

 

Carreira:

Hall fez sua estreia no cinema em “Cowards”, de 1970, do diretor Simon Nuchtern. Ele começou a aparecer em programas de TV logo depois, participando de centenas de episódios ao longo de sua carreira.

Hall tornou-se conhecido como um ator prolífico e que roubou a cena, acumulando 185 créditos de atuação durante sua carreira de cinco décadas em Hollywood.

Para muitos, seu papel mais icônico veio em um episódio de “Seinfeld”, quando ele interpretou o policial da biblioteca super zeloso tenente Joe Bookman, um papel que ele repetiu no final da série.

Hall também desempenhou notavelmente um executivo de rede em “The Truman Show: A Vida em Directo”  e apareceu nos filmes “Hora de Ponta”. Após os anos 2000, Hall continuou a trabalhar frequentemente no cinema e na televisão, principalmente interpretando Sherwood Morrill em “Zodiac” e o diretor da CIA Stansfield Turner em “Argo”, de Ben Affleck.

No final de sua carreira, Hall continuou a trabalhar com o criador de “Seinfeld”, Larry David, interpretando o inexpressivo Doutor Morrison em “Curb Your Enthusiasm” e aparecendo no filme de David de 2013, “Clear History”.

Ele também apareceu em episódios de “BoJack Horseman” e “Room 104” nos últimos anos. Seu último papel foi na série Netflix de 2020 “Messiah”, na qual interpretou Zelman Katz em seis episódios.

Outros dos seus créditos incluem o desempenho como Presidente norte-americano Richard Nixon no drama de Robert Altman “Secret Honor” (1984).

 

Paul Thomas Anderson:

Hall também construiu um currículo de cinema distinto que incluiu três colaborações com Paul Thomas Anderson, começando com seu papel no curta-metragem de Paul Thomas Anderson “Café e Cigarros”, que se tornou a base de “Passado Sangrento”.

Ele seguiu esses filmes com papéis coadjuvantes nos próximos dois longas de Anderson, “Jogos do Prazer” de 1997 e “Magnolia” de 1999.

Por seu papel em “Passado Sangrento”, o mítico crítico de cinema Roger Ebert elogiou sua atuação, escrevendo:

“Aqui está outra grande atuação. Ele é um homem que esteve por aí, que conhece cassinos e jogos de azar, que se encontra ligado a três pessoas que ele poderia facilmente evitou, que pensa antes de agir.”

 

Baker Hall em “Magnolia”

Hall sempre será o eterno actor secundário favorito de PTA, no céu ele se junta a Philip Seymour Hoffman – outro grande colaborador de PTA.

 

* Com informações do IndieWire.

Skip to content