Chegou ao fim a nona edição dos Prémios Cinema 7ª Arte, com um vencedor a fazer história em nove anos de prémios. Os leitores elegeram “Verão Danado”, de Pedro Cabeleira, como o Melhor Filme do Ano de 2017 e como o Melhor Filme Português. Esta foi a primeira vez que um filme português venceu a categoria de Melhor Filme do Ano. A primeira longa-metragem de Cabeleira, que conquistou a Menção do Júri do Festival de Locarno, é um retrato da geração recém-licenciada à beira de entrar no mundo do trabalho. “Verão Danado” foi o preferido na categoria de Melhor Filme do Ano com 40% dos votos e na categoria de Melhor Filme Português com 50,6% dos votos. “Verão Danado” foi líder nas duas categorias a maior parte do tempo em que as votações decorreram.

Sobre o filme, Cláudio Azevedo escreveu em 2017 o seguinte: “Pedro Cabeleira é um nome a termos em atenção. É admirável o que conseguiu, numa primeira longa-metragem e com tão baixo orçamento. É visível já uma identidade, que promete um cinema dinâmico e vivificado, num estilo irreverente e cativante.”

Foi a terceira vez que nos Prémios Cinema 7ª Arte um vencedor de Melhor Filme do Ano vence outra categoria. Aconteceu em 2016 com “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach, como o Melhor Filme do Ano e como o Melhor Filme Estrangeiro e em 2012 com a comédia francesa “Amigos Improváveis”, de Olivier Nakache Eric Toledano.

Na categoria de Melhor Filme do Ano o segundo mais votado foi “Moonlight” com 11,3%, seguido por “La La Land” com 6,2% e “O Quadrado” com 5,6%. Na categoria de Melhor Filme Português o segundo mais votado foi “São Jorge” com 20,9%, seguido por “A Fábrica de Nada” com 15,1%, “Fátima” com 9,3% e “Ama-San” com 4,1%.

Quanto à categoria de Melhor Filme Estrangeiro, o vencedor foi “O Quadrado”, de Ruben Östlund, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, um filme que parece querer expor as idiossincrasias sociais que são transversais a todas as nações bem capitalizadas. Venceu com 32,2% dos votos, numa luta muito renhida com “120 Batimentos por Minuto” (27,3% dos votos) e “Aquarius” (25,9% dos votos). “A Morte de Luís XIV” obteve 7,7% e “O Outro Lado da Esperança” 7%.

Assim, o Cinema 7ª Arte atribui a “Verão Danado” (Portugal, 2017) o Prémio de Melhor Filme do Ano, juntando-se ao quadro de vencedores das edições anteriores: “Quem Quer Ser Bilionário” (Reino Unido, 2009), “A Rede Social” (EUA, 2010), “Cisne Negro” (EUA, 2011), “Amigos Improváveis” (França, 2012), “Django Libertado” (EUA, 2013) e “Grand Budapest Hotel” (EUA, 2014), “Mad Max: Estrada da Fúria” (EUA, 2015) e “Eu, Daniel Blake” (Reino Unido, 2016).

Relembramos que o objectivo desta simples iniciativa é “destacar e premiar os melhores filmes nacionais e internacionais que estrearam em Portugal durante o ano corrente”, criando assim um espaço de interacção com os nossos leitores, que podem partilhar a sua opinião. A 10ª edição realiza-se em janeiro de 2019.