Terminou a décima edição dos Prémios Cinema Sétima Arte 2018, que permitiu mais uma vez que os leitores votassem nos seus filmes favoritos. “Chama-me Pelo Teu Nome”, de Luca Guadagnino, foi eleito como o Melhor Filme do Ano, com 27,6% dos votos.

Um dos filmes mais badalados do ano, uma história sobre o primeiro amor, o desejo sexual e a nostalgia daquela que fora uma memória feliz, perdida no tempo. Luca Guadagnino capta na perfeição essas memórias e vivências únicas do verão, onde as longas tardes solarengas dão azo a novas experiências e descobertas.

Na categoria de Melhor Filme do Ano, o segundo mais votado foi “Roma”, com 21% dos votos, seguido por “Três Cartazes à Beira da Estrada” (12,4%) e “Linha Fantasma” (6,7%).

Na categoria de Melhor Filme Português, o grande vencedor foi “O Labirinto da Saudade”, de Miguel Gonçalves Mendes, com 52,9% dos votos, um documentário que viaja pelo interior da mente do escritor e filósofo Eduardo Lourenço. Foi claramente o preferido na categoria, seguindo-se “Raiva” (22,1%), “Colo” (9,6%), “Luz Obscura” (8,7%) e “Ramiro” (6,7%).

Se “Roma”, de Alfonso Cuarón, foi o segundo favorito para Melhor Filme do Ano, venceu, no entanto, a categoria de Melhor Filme Estrangeiro, com 65,7% dos votos. O filme, um retrato pessoal sobre as memórias de infância do cineasta mexicano nos anos 70, liderou esta categoria durante grande parte do tempo em que as votações decorreram. Seguem-se “Shoplifters – Uma Família de Pequenos Ladrões” (15,2%), “Cold War – Guerra Fria” (12,1%), “No Intenso Agora” (6,1%) e “Western” (1%).

Assim, o Cinema 7.ª Arte atribui a “Chama-me Pelo Teu Nome” (EUA, 2017) o Prémio de Melhor Filme do Ano, juntando-se ao quadro de vencedores das edições anteriores: “Quem Quer Ser Bilionário” (Reino Unido, 2009), “A Rede Social” (EUA, 2010), “Cisne Negro” (EUA, 2011), “Amigos Improváveis” (França, 2012), “Django Libertado” (EUA, 2013) e “Grand Budapest Hotel” (EUA, 2014), “Mad Max: Estrada da Fúria” (EUA, 2015), “Eu, Daniel Blake” (Reino Unido, 2016) e “Verão Danado” (Portugal, 2017).

Relembramos que o objectivo desta simples iniciativa é “destacar os melhores filmes nacionais e internacionais que estrearam em Portugal durante o ano corrente”, criando assim um espaço de interação com os nossos leitores, que podem partilhar a sua opinião.