Terminou hoje a 22.ª edição do Queer Lisboa – Festival Internacional de Cinema Queer com a habitual cerimónia de encerramento e entrega dos prémios. O Júri da Competição de Longas-Metragens, composto por Didier Roth-Bettoni, Hugo van der Ding e Leonor Silveira atribuiu o prémio de Melhor Longa-Metragem a Marilyn”, o segundo filme do argentino Martín Rodríguez Redondo. Segundo o Júri, trata-se de “Uma primeira longa-metragem, com uma linguagem nunca manipuladora, um olhar realista que nos propõe um retrato de uma pesada sociedade. A batalha, perdida desde o seu início, da beleza e do horror onde a única libertação possível é pela tragédia, que não conhece um fim.”

Kristín Thóra Haraldsdóttir venceu o prémio de Melhor Atriz em “And Breathe Normally”, e Victor Polster o de Melhor Ator em “Girl”. Para o Prémio do Público da Competição de Longas-Metragens, o público premiou “Girl”, de Lukas Dhont.

O Júri da Competição de Documentários, composto por Esra Özban, Margarida Leitão e Rui Filipe Oliveira, decidiu atribuir o Prémio de Melhor Documentário ao filme “Room for a Man”, de Anthony Chidiac. Segundo o Júri: “O prémio do júri da Competição de Documentários vai para Room for a Man, de Anthony Chidiac, que corajosamente nos convida para o seu quarto em Beirute e expressa conflitos íntimos através de uma elaborada linguagem cinematográfica. Refletindo de forma delicada sobre os encontros consigo mesmo, com a sua família e com os ‘outros’, o ensaio poético e pessoal de Chidiac cria um quarto dentro do qual podemos partilhar a sua jornada.”

Competição Longas-Metragens
Melhor Longa-Metragem
Marilyn, de Martín Rodríguez Redondo (Argentina, Chile, 2018, 80′)
Melhor Atriz
Kristín Thóra Haraldsdóttir, em And Breathe Normally (Ísold Uggadóttir, Islândia, Suécia, Bélgica, 2018, 100’)
Melhor Ator
Victor Polster, em Girl (Lukas Dhont, Bélgica, Holanda, 2018, 105’)
Menção Especial
Tinta Bruta, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon (Brasil, 2018, 118’)
Prémio do Público
Girl, de Lukas Dhont (Bélgica Holanda, 2018, 105’)

Competição para melhor Documentário
Melhor Documentário
Room for a Man, de Anthony Chidiac (Líbano, EUA, 2017, 77’)
Menção Especial
Cartas para um Ladrão de Livros, de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros (Brasil, 2017, 97’)
Prémio do Público
Lunàdigas – Ovvero Delle Donne Senza Figli, de Nicoletta Nesler, Marilisa Piga (Itália, 2016, 78′)

Competição para melhor Curta-Metragem
Melhor Curta-Metragem
Would You Look At Her, de Goran Stolevski, (Macedónia, 2017, 18’)
Menção Especial
O Órfão, de Carolina Markowicz (Brasil, 2018, 15’)
Prémio do Público
O Órfão, de Carolina Markowicz (Brasil, 2018, 15’)

Competição In My Shorts
Prémio Melhor Curta-Metragem de Escola
Mathias, de Clara Stern (Austria, 2017, 30′)
Menção Especial do Júri
Three Centimetres, de Lara Zeidan (Reino Unido, 2017, 9′)

Competição Queer Art
Melhor Filme
Inferninho, de Guto Parente, Pedro Diogenes (Brasil, 2018, 82’)
Menção Especial
Martyr, de Mazen Khaled (Líbano, Itália, 2017, 84’)

Fonte: Queer Lisboa