Roe x Wade: Qual é a resposta de Hollywood?

Em 24 de junho, o Supremo Tribunal dos EUA revogou a decisão Roe v. Wade de 1973 e eliminou o direito constitucional ao aborto, emitindo uma decisão histórica que provavelmente tornará o procedimento ilegal em metade do país e polarizará ainda mais uma nação profundamente dividida.

Sendo direto, a revogação significa que a decisão volta para os estados, muitos dos quais já tinham planos em vigor para que tal ato proibisse ou limitasse severamente quem pode fazer um aborto.

Infelizmente, o impacto promete ser transformador. Afinal, nesse contexto, vinte e seis estados proibirão quase todos os abortos, de acordo com o Instituto Guttmacher, uma organização de pesquisa que apoia o direito ao aborto. Ainda sobre a questão, treze estados já possuem as chamadas leis de gatilho projetadas para proibir automaticamente o aborto quando a lei entrar em vigor.

Isto posto, a decisão provavelmente desencadeará batalhas em várias novas frentes, incluindo o status de leis de aborto há muito adormecidas, como a proibição de Michigan de 1931. Nesse ponto, os legisladores em estados antiaborto terão que decidir se abrem exceções para casos de estupro ou incesto e se impõem penalidades criminais às pessoas que fazem abortos.

Por conseguinte, milhões de pessoas em todo os Estados Unidos agora encontram uma faceta crítica de sua saúde reprodutiva no ar, mas, felizmente, muitas empresas anunciaram como protegerão a saúde para aqueles que desejam fazer um aborto. É uma questão importante para os funcionários, com um estudo do Pew Research Center descobrindo que cerca de seis em cada dez americanos apoiam o aborto na maioria ou em todos os casos.

Em consideração a isso, muitas produtoras de Hollywood com escritórios em estados que planejam restringir o acesso ao aborto apresentaram seus planos para ajudar os funcionários que desejam procurar o procedimento médico.

Confira o posicionamento das gigantes:

 

Warner Bros. Discovery e Paramount:

Muitas empresas da indústria do entretenimento já se manifestaram para garantir a seus funcionários que seus direitos à saúde são importantes para eles e destacaram opções para obter os cuidados de que precisam se moram em um estado que restringe esse acesso. Isso inclui a Warner Bros. Discovery, onde um e-mail foi enviado aos funcionários afirmando:

 

“Dada a recente decisão da Suprema Corte de anular Roe v. Wade e a provável eliminação do acesso a abortos em alguns estados, estamos imediatamente expandindo nossas opções de benefícios de saúde para incluem despesas para funcionários e seus familiares cobertos que precisam viajar para acessar uma série de procedimentos médicos, incluindo cuidados com abortos, planejamento familiar e saúde reprodutiva” (via The Hollywood Reporter).

 

O CEO da Paramount, Bob Bakish, enviou um e-mail semelhante que abordou a decisão da Suprema Corte, destacando as políticas de saúde existentes da empresa, que incluem cobertura para despesas relacionadas a viagens no caso de um determinado procedimento ser proibido onde os funcionários moram.

 

Netflix e Disney:

A Netflix oferece um subsídio vitalício de US$ 10.000 para funcionários em tempo integral nos Estados Unidos para reembolso de viagens relacionadas à saúde, incluindo aborto, cuidados de afirmação de gênero e tratamento de câncer. Enquanto isso, a Disney também entrou em contato com seus funcionários para dizer como cobrirá viagens para outros locais para decisões relacionadas à gravidez.

O repórter Wikerson Landim apurou que os executivos da Disney também se comunicaram diretamente com as suas equipes, oferecendo com cuidados de qualidade e acessíveis para todos os funcionários, não importando onde eles morem.

 

Universal e Sony:

Wikerson Landim também reportou que a controladora da NBC Universal, Comcast, preferiu não comentar o assunto, mas o Deadline apurou que a companhia oferece um benefício de viagem para funcionário que inclui todos os serviços e procedimentos médicos que não estão disponíveis perto da casa de um funcionário.

Por fim, uma fonte da Variety confirma que os funcionários da Sony têm um reembolso de viagem para cobrir serviços de saúde protegidos, que incluem saúde reprodutiva. Durante esse período difícil, é fundamental que os trabalhadores consultem suas próprias empresas, independentemente de estarem na indústria do entretenimento ou não, para ver quais coberturas são fornecidas e forçá-los a ir mais longe, se necessário.

 

* Texto elaborado exclusivamente para o Cinema Sétima Arte. 

 

© 2022 Vanderlei Tenório Pereira

Skip to content