Devido ao Covid-19, as salas de cinema estão fechadas desde meados de março. A Associação Portuguesa de Empresas Cinematográficas (APEC) revelou que estão em causa dois mil postos de trabalho, pois não conseguem gerar receitas, mas continuam a ter despesas de custos fixos com trabalhadores e rendas dos espaços em que se situam, maioritariamente em centros comerciais. Num ano “normal” as salas de cinema geram um lucro de 110 milhões de euros, em vendas de bilhetes, na área alimentar e noutras fontes. Neste momento, o custo fixo por mês mesmo com as salas fechadas é de três milhões de euros.

Apesar de as medidas de apoio financeiro que foram decretadas recentemente terem como objetivo o pagamento de salários e a manutenção dos postos de trabalho, no caso dos cinemas a situação é diferente por não ser possível o teletrabalho e a atividade estar completamente suspensa. A APEC pede medidas especiais dizendo que está em risco a sobrevivência do setor, sendo necessário definir uma data de reabertura das salas, de restaurar a confiança da população em ir a espaços públicos e dar a volta à concorrência das plataformas streaming.