Já é conhecida a selecção oficial da 59ª edição do Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, que irá decorrer de 16 a 24 de Setembro, no País Basco espanhol, em San Sebastián.

 

O thriller de terror, “Intruders” do realizador espanhol Juan Carlos Fresnadillo (“Intacto” e “28 Weeks Later”) vai abrir a 59ª edição do Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, a 16 de Setembro. O filme conta com Clive OwenCarice van HoutenDaniel BrühlPilar López de Ayala e Kerry Fox no elenco principal. A secção de encerramento caberá ao filme “Intouchables” (“Untouchable”),escrito e realizado por Eric Toledano Olivier Nakache, que terá aqui a sua estreia mundial, no dia 24 de Setembro.

 

A atriz americana, Glenn Close, vai receber o prémio carreira, o Prémio Donostia, e irá apresentar a estreia do seu último filme, “Albert Nobbs” de Rodrigo García, que irá estar fora de competição. Glenn Close é uma das grandes estrelas de Hollywood, que já conta com cinco nomeações ao Óscar (duas delas a Melhor Atriz e três delas a Melhor Atriz Secundária), é conhecida pelas suas interpretações em “O Estranho Mundo de Garp” (1982), “Atracção Fatal” (1987) e “Ligações Perigosas” (1988).

 

Todos os anos é dedicada uma retrospectiva completa a um realizador, este ano será feita ao grande cineasta francês Jacques Demy. Entre curtas e longas-metragens será possível assistir a grandes clássicos do cinema francês, como “Lola” (1961), “Les parapluies de Cherbourg” (1964), “Les demoiselles de Rochefort” (1967), entre outros.

 

É de recordar que, o recente falecido Raúl Ruiz venceu em 2010 o Prémio Concha de Prata para Melhor Realizador, com o filme “Mistérios de Lisboa“, a grande produção cinematográfica do realizador chileno Raúl Ruiz, produzido por Paulo Branco, numa co-produção da Clap Filmes e RTP.

 

A competir pela Concha de Ouro estão 18 longas-metragens recentes de vários cantos do mundo, como China, México, Coreia do Sul, Portugal, França e Grécia. Esta secção competitiva integra filmes que ainda não tenham sido exibidas nos cinemas e em festivais de cinema. A Espanha conta com cinco filmes em competição e a França com dois. É de destacar a presença do filme português, “Sangue do Meu Sangue” de João Canijo, que conta com Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida, Rafael Morais, Marcello Urgeghe e Nuno Lopes, entre outros, no elenco. Uma produção Midas Filmes, com o apoio financeiro do ICA – Instituto do Cinema e Audiovisual, que estreia nas salas nacionais a 6 de Outubro.

 

  • “The Deep Blue Sea” de Terence Davies (Reino Unido)
  • “Kiseki” (“I Wish”) de Hirokazu Kore-eda (Japão)
  • “Las Razones del Corazón” (“The Reasons of the Heart”) de Arturo Ripstein (México)
  • “Take This Waltz” de Sarah Polley (Canadá)
  • “Le Skylab” de Julie Delpy (França)
  • “11 Flowers” de Wang Xiaoshuai (China)
  • “Americano” de Mathieu Demy (França)
  • “Los Marziano” (“The Marziano’s Family”) de Ana Katz (Argentina)
  • “Sangue do Meu Sangue” de João Canijo (Portugal)
  • “Adikos Kosmos” (“Unfair World”) de Filippos Tsitos (Grécia)
  • “Happy End” de Björn Runge (Suécia)
  • “Amen” de Kim Ki-duk (Coreia do Sul)
  • “Rampart” de Oren Moverman (EUA)
  • “No Habrá Paz Para Los Malvados” (“No Rest For The Wicked”) de Enrique Urbizu (Espanha)
  • “Los Pasos Dobles” (The Double Steps”) de Isaki Lacuesta (Espanha)
  • “La Voz Dormida” (“The Sleeping Voice”) de Benito Zambrano (Espanha)
  • “Bertsolari” de Asier Altuna (Espanha)
  • “Intruders” de Juan Carlos Fresnadillo (Espanha) – filme de abertura

 

Há ainda outra secção competitiva, chamada de “Made in Spain”, ou seja, apenas longas-metragens feitas em Espanha, por espanhóis. Nesta secção encontram-se quinze filmes, entre os quais, se destacam “Balada Triste de Trompeta” de Álex de la Iglesia, “No Tengas Miedo” de Montxo Armendáriz e “Finisterrae” de Sergio Caballero.