Terminou ontem a 65ª edição do Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, tendo a Concha de Ouro para Melhor Filme sido atribuída a “The Disaster Artist”, realizado e protagonizado por James Franco, uma comédia dramática que retrata os bastidores da produção de “The Room” (2003) (‘o Citizen Kane dos maus filmes’), considerado um dos piores filmes da história do cinema.

O filme “The Captain”, realizado por Robert Schwentke e co-produzido por Paulo Branco, venceu o Prémio do Júri para Melhor Fotografia. Este filme é uma co-produção entre a Alfama Films de Paulo Branco (França), a Filmgalerie 451 (Alemanha) e a Opus Film (Polónia).

Vencedores
Concha de Ouro para Melhor Filme
The Disaster Artist, de James Franco (EUA)
Prémio Especial do Júri
Handia, de Aitor Arregi
Jon Garaño (Espanha)
Menção Especial
So Help Me God, de Jean Libon e Yves Hinant (França/Bélgica)
Concha de Prata – Realizador
Anahí Berneri, por Alanis (Argentina)
Concha de Prata – Ator
Bogdan Dumitrache, em Pororoca (Roménia)
Concha de Prata – Atriz
Sofía Gala, em Alanis (Argentina)
Prémio do Júri – Argumento
Diego Lerman e María Meira, Una Especia de Família (Argentina)
Prémio do Júri – Fotografia
Florian Ballhäus, The Captain (Alemanha/Polónia/Portugal/França)

Outros Prémios Oficiais
Prémio Kutxabanl – Novos Realizadore
Le Semeur, de Marine Francen (França)

Prémio Horizontes
Los Perros, de Marcela Said (Chile)

Prémios Paralelos
FIPRESCI
Life and Nothing More, de Antonio Méndez.Esparza (Espanha)
SIGNIS
Life and Nothing More, de Antonio Méndez-Esparza (Espanha)
Prémio do Público
Three Billboards Outside Ebbing, Missouri, de Martin McDonagh (Reino Unido/EUA)
Prémio do Público – Filme Europeu
Jusqu’à la Garde, de Xavier Legrand (França)
Prémio Cine en Construcción
Ferrugem, de Aly Muritiba (Brasil)
Prémio da Juventude
Matar a Jesús, de Laura Mora (Colômbia)